quinta-feira, 3 de maio de 2018

SEGUNDA EDIÇÃO DE 03-5-2018

NO O GLOBO
Lava-Jato manda prender Dario Messer e outros 44 doleiros
Agentes cumprem mandados em cinco Estados e outros dois países
POR CHICO OTÁVIO E DANIEL BIASETTO
Quinta-feira, 03/05/2018 6:19/atualizado 03/05/2018 7:05
RIO — Agentes da Polícia Federal liderados pela força-tarefa da Lava-Jato estão nas ruas para cumprir 45 prisões contra doleiros envolvidos em um esquema de lavagem de dinheiro que atinge a astronômica cifra de US$ 1,652 bilhão. O principal alvo da ação é o doleiro Dario Messer, apontado como "o doleiro dos doleiros" no Brasil. Policias federais cumprem, na manhã desta quinta-feira, mandados nos Estados de Rio, São Paulo, Distrito Federal, Minas Gerais e Rio Grande do Sul e nos países Uruguai e Paraguai, onde acreditam estar Messer, por possuir dupla cidadania.
No Rio, policiais federais cumprem mandados em endereços no Leblon e em Ipanema, na Zona Sul.
A Lava-Jato desbaratou o esquema a partir das delações dos operadores do esquema do ex-governador Sergio Cabral, Vinicius Claret, o "Juca Bala", e Cláudio Fernando Barbosa, o "Tony". Os dois formam um grupo de quatro gerentes liderados por Dario Messer para lavar o dinheiro. Os doleiros atuam no mercado paralelo de câmbio.
Outros doleiros, como Sergio Mizhay e Enrico, também estão entre os alvos. A força tarefa da Lava-Jato apurou, a partir das delações, que havia um sofisticado sistema para fazer a lavagem de dinheiro. Juca Bala e Tony entregaram um sistema financeiro paralelo e online chamado "Bank Drop", que consistia nas telas do sistema para que fossem realizadas as operações de lavagem.
Juca Bala e Tony chegaram ao Rio em dezembro, extraditados do Uruguai a pedido das autoridades brasileiras. Juca foi citado por outros dois delatores, os irmãos Renato e Marcelo Chebar. Também doleiros, eles revelaram que, quando o esquema de propina do ex-governador ficou grande demais, em 2007, tiveram de chamar Vinicius Claret para assumir as operações de lavagem.
(...)
ESQUEMA
Doleiros brasileiros e uruguaios se associaram para lavar o dinheiro do esquema comandado pelo ex-governador Sérgio Cabral no exterior. A pista foi fornecida pelos os irmãos Renato e Marcelo Hasson Chebar, delatores da Operação Eficiência, que citaram a uruguaia María Esther Campa Solaris como titular de uma conta no banco Pictet & Cie., com sede em Genebra, onde Cabral teria escondido US$ 10 milhões (R$ 31,2 milhões) da propina levada para a Suíça. María Esther é secretária do advogado Oscar Algorta Rachetti, uruguaio já indiciado pelo juiz Sérgio Moro por também lavar dinheiro para o ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró.
Além dos irmãos Chebar, Algorta era próximo de pelo menos mais um doleiro brasileiro. E-mails obtidos pelo GLOBO revelam que María Esther, em novembro de 2012, acertou uma viagem do advogado ao Rio, onde ficou hospedado durante quatro dias numa cobertura no Leblon, que pertence a Dario Messer.
Juca, segundo Renato Chebar, tinha uma estrutura no Rio para o recebimento em espécie dos valores da propina de Cabral.

NO JORNAL DA CIDADE ONLINE
PT recua e negocia “perdão judicial” para que Lula possa concorrer em 2022
Por Amanda Acosta
Articulista e repórter-amanda@jornaldacidadeonline.com.br
Quinta-feira, 03/05/2018 às 06:40
No PT já não existe há muito tempo a ilusão de que Lula possa ser candidato em 2018. Qualquer resquício esvaiu-se com a prisão em 7 de abril de 2018.
A luta agora é conseguir a soltura do ex-presidente e, desta forma, buscar o pleito eleitoral para negociar um indulto.
Com esta senha, qualquer candidato competitivo, de esquerda ou centro-esquerda, poderá ter o apoio do PT.
Por enquanto, segundo Mônica Bergamo, colunista da Folha e ‘porta voz’ do partido, somente Boulos prometeu o ‘perdão judicial’. Este não conta. É candidato que não pontua e foi desmascarado, após essa tragédia em São Paulo.
Ciro Gomes, por sua vez, recebeu um simpático aceno de Jaques Wagner, sugerindo que o PT poderia indicar o vice na sua chapa. A tentativa de Wagner foi imediatamente rechaçada por Gleisi Hoffmann: “Mas ele não sabe que o Ciro não passa no PT nem com reza brava?”.
Na realidade, Ciro jamais vai assumir publicamente o compromisso de perdão judicial a Lula. A perda seria muito grande. Pode fazê-lo em segredo, mas ninguém no PT, nem em lugar nenhum, confia em Ciro.
Assim, a situação do PT é bastante complicada. Todos os seus parlamentares têm agora suas preocupações individuais e doravante devem começar a se preocupar com elas.
É a busca da reeleição.
Lula, caso não seja solto logo, fatalmente será esquecido no cárcere. Pelo menos, até o dia do pleito. O problema é que até lá, poderá ter outras condenações e outros decretos prisionais.

Zanin, furioso e abalado com contragolpe, não terá como cumprir determinação judicial
Por Amanda Acosta-Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br
Quarta-feira, 02/05/2018 às 22:14
A festa realizada no escritório Teixeira & Martins, logo após a decisão da 2ª turma do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou que o juiz Sérgio Moro enviasse para a Justiça Federal de São Paulo as delações da Odebrecht, transformou-se numa sucessão de verdadeiros ataques de fúria protagonizados pelo advogado Cristiano Zanin, garante a fonte do Jornal da Cidade Online.
A paz e a alegria no 19º andar da Rua Padre João Manuel, 755, sede do escritório em São Paulo, durou pouquíssimos dias.
Açodado, desconfortável e derrotado com a prisão de Lula, Zanin não tem a frieza necessária para litigar num processo tão difícil, contra um Ministério Público extremamente diligente e um juiz frio, estrategista e profundo conhecedor das nuances da Lei.
O advogado atropela os fatos e tenta forçar situações que não encontram amparo legal.
Em petição protocolada no dia 30, Zanin coloca o próprio ministro Dias Toffolli numa situação delicada. Peticiona requerendo que o ministro determine que o juiz Sérgio Moro envie os processos contra o ex-presidente Lula, em trâmite em Curitiba para a Justiça Federal de São Paulo e anule o andamento de tais processo.
Toffoli não tem como atender o pleito. Estaria extrapolando os termos de sua decisão e, em consequência, a decisão do STF.
Por outro lado, numa outra frente, tentando pressionar o juiz Sérgio Moro, Zanin atravessou uma outra petição pedindo o desbloqueio dos fundos de previdência de Lula.
O magistrado foi cirúrgico. Mandou que a defesa do ex-presidente comprovasse a licitude dos ganhos.
Zanin que exigia provas, agora terá que oferecer provas, numa situação que ele próprio provocou.
Terá que demonstrar que as palestras de Lula realmente aconteceram, comprovar os ganhos e a entrada legal do dinheiro.
Uma tarefa inglória. A petição juntada por Zanin nesta quarta-feira (2) é esdrúxula, medíocre e não faz a prova da licitude dos ganhos. Menciona as tais palestras sem fazer prova da realização.
O dinheiro fatalmente permanecerá bloqueado.
Moro é inigualável.

Petistas, a caminho de Curitiba, dão gigantesco calote em restaurante na estrada
Vieram para Curitiba pelo Dia do Trabalho e no caminho judiaram de quem realmente trabalha
Da Redação
Quarta-feira, 02/05/2018 às 11:59
Cerca de 25 ônibus fretados por militantes do PT, que estiveram em Curitiba nesta terça-feira (1º de maio), procedentes de São Paulo, causaram baderna e calote em um restaurante em que fizeram parada no percurso.
A denúncia é do gerente do estabelecimento, Paulo Sergio do Nascimento.
O restaurante vítima dos petistas é o Serra da Graciosa, localizado em Quatro Barras, na BR 116, bem próximo de Curitiba.
Segundo o gerente, toda a algazarra foi premeditada.
“Já chegaram programado para fazer isso. Tomaram cerveja e não pagaram. Aí os seguranças agiram e os manifestantes começaram a se fazer de vítima, dizendo que estavam sendo agredidos”. O prejuízo estimado foi de cerca de R$ 2,5 mil.
“O engraçado é que eles vieram para Curitiba pelo Dia do Trabalho e no caminho judiaram de quem realmente trabalha”, lamentou o gerente.

NO O ANTAGONISTA
URGENTE: TOFFOLI MANTÉM PROCESSO DO SÍTIO COM MORO
Brasil Quinta-feira, 03.05.18 09:55
Dias Toffoli rejeitou o pedido da defesa de Lula para tirar de Sergio Moro o processo do sítio em Atibaia.

Comando do PT animado com possibilidade de visita a Lula
Brasil 03.05.18 10:18
O Globo noticia que o comando do PT foi informado de que Lula ganhará hoje autorização para receber visitas.
Se confirmada a informação, Gleisi Hoffmann, Jaques Wagner e Emídio de Souza poderão ficar 20 minutos com o condenado.

O caminho para as contas secretas do PT
Brasil 03.05.18 09:36
A rede de doleiros desbaratada hoje pela Lava Jato do Rio é a maior do País e foi largamente utilizada pela Odebrecht para movimentar recursos ilícitos no exterior.
Dario Messer, o chefe, é investigado como “doleiro do PT”. É o caminho para as contas secretas do partido.

Seis em cada 10 brasileiros não votariam em candidato apoiado por Lula
Brasil 03.05.18 09:37
A prisão de Lula teve um efeito benéfico sobre o eleitorado.
De acordo com a pesquisa do Instituto Paraná, 61,2% dos brasileiros disseram que não votariam num candidato apoiado por Lula; 23,4% disseram que votariam; 14,1% disseram que depende do candidato.
Esse é o dado mais importante da pesquisa.
A influência de Lula deve recuar ainda mais se não o tirarem da cadeia.

Dario Messer tem mandado de prisão internacional
Brasil 03.05.18 09:33
Atualizando: a Polícia Federal cumpre 43 mandados de prisão preventiva no Brasil e 06 no exterior, além de 04 ordens de prisão temporária e 51 mandados de busca e apreensão.
O doleiro Dario Messer é um dos alvos da PF no exterior.

PF ainda procura “doleiro dos doleiros”
Brasil 03.05.18 08:57
A Polícia Federal ainda não conseguiu cumprir o mandado de prisão do doleiro Dario Messer.
Tudo indica que Messer está mesmo fora do País.

Esquema contava com 3 mil offshores
Brasil 03.05.18 08:31
Os doleiros do esquema de Sérgio Cabral (e vá saber de quantos outros) operavam um sistema batizado de Bank Drop, com 3 mil offshores em 52 países.

Uma avenida para a Lava Jato
Brasil 03.05.18 08:23
A prisão de Dario Messer, o doleiro dos doleiros, poderá abrir uma avenida para a Lava Jato.
Ele teria prestado inestimáveis serviços ao PT.

“DOLEIRO DOS DOLEIROS” FOI ENTREGUE POR DELATORES DO ESQUEMA DE CABRAL
Brasil 03.05.18 07:54
A Câmbio, Desligo foi deflagrada graças às delações de Vinicius Claret, o Juca Bala, e Cláudio Fernando Barbosa, o Tony — ambos doleiros do esquema de Sérgio Cabral, liderados por Dario Messer, o “doleiro dos doleiros”.
Sim, você leu certo nos posts anteriores: o esquema contava com 45 doleiros e lavou 1,65 bilhão de dólares.

Delação de Palocci homologada em duas semanas
Brasil 03.05.18 08:58
O Painel da Folha publica que o TRF-4 deve homologar a delação de Antonio Palocci à PF em até duas semanas.
Importante: a delação deverá ser acolhida parcialmente, “num movimento acordado com o Ministério Público Federal”.
Se pegar quem interessa — e você sabe quem interessa –, nenhum problema.
Com PF e MPF apaziguados, o País sai ganhando.

Sem Instituto Lula, o negócio é pendurar-se no fundo partidário
Brasil 03.05.18 07:16
O Instituto Lula está falido, mas o cabide de empregos permanece.
Segundo a Folha, “desde o ano passado, diretores do Instituto foram incorporados à estrutura partidária com direito à remuneração. É o caso do ex-ministro Luiz Dulci, hoje na vice-presidência do PT”.
O fundo partidário é pai, não é padrasto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário