DICIONÁRIO AULETE

iDcionário Aulete

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

TERCEIRA EDIÇÃO DE 26-9-2016 DO 'DA MÍDIA SEM MORDAÇA'

NO O ANTAGONISTA
PALOCCI REPASSOU PROPINA PARA LULA
Brasil 26.09.16 09:55
Antonio Palocci foi o destinatário da propina para comprar o terreno da nova sede do Instituto Lula.
Como revelamos no post sobre Roberto Teixeira, "há indícios de que a compra do terreno em que seria instalado o Instituto Lula foi debitada do saldo de propina acertado previamente entre Palocci e dirigentes da Odebrecht".
LAVA JATO NÃO PAROU PALOCCI
Brasil 26.09.16 10:06
A Lava Jato verificou também que, mesmo após a deflagração da Operação Lava Jato, "continuaram a ocorrer comunicações e encontros entre executivos da Odebrecht e Antônio Palocci, até, pelo menos, maio de 2015".
"Neste período final, as comunicações passaram a ser realizadas de forma mais cautelosa, por meio da utilização de dispositivos criptografados."
PALOCCI REPASSOU PROPINA AO FEIRA
Brasil 26.09.16 09:55
Está confirmado. Antonio Palocci também repassou propina a João Santana e Mônica Moura, no âmbito do financiamento de campanhas presidenciais do PT. Como sempre dissemos aqui, Lula e Dilma foram eleitos e reeleitos de forma ilegítima com dinheiro roubado.
O Brasil foi vítima do maior atentado à democracia de todos os tempos.
PALOCCI SE REUNIU COM M.O. E ROBERTO TEIXEIRA
Brasil 26.09.16 09:51
Roberto Teixeira, advogado de Lula, entrou definitivamente na Lava Jato. Os investigadores descobriram que Antonio Palocci participou, com Marcelo Odebrecht e Roberto Teixeira, da reunião que tratou da compra do prédio que serviria de sede para o Instituto Lula.
"A partir das provas analisadas, há indicativos de que a aquisição do terreno inicialmente destinado ao Instituto Lula foi acertada com o ex-ministro, tendo sido o valor debitado das vantagens indevidas pactuadas."
"Identificaram-se ainda registros de que, além do repasse de mais de R$ 12 milhões anotados na planilha “Programa Especial Italiano”, vinculados a “IL”, Antônio Palocci participou de reunião com Marcelo Odebrecht e Roberto Teixeira, bem como recebeu, por intermédio de Branislav Kontic, documentos encaminhados via e-mail pelo presidente do grupo empresarial, relacionados à compra do terreno (em mensagens sob o título “Prédio Institucional”, “Prédio do Instituto” e planilha intitulada “Edificio.docx”)."
Outra prova analisada se refere à minuta de contrato do terreno encontrada no sítio usado pelo ex-presidente Lula, em que constava José Carlos Bumlai, como adquirente, e representado por Roberto Teixeira. Em depoimento, Bumlai afirmou que se recusou a figurar como comprador do imóvel, tendo sido, de fato, identificado que a compra se deu em favor de pessoas vinculadas à Odebrecht.
200 MILHÕES NO 'PROGRAMA ESPECIAL ITALIANO'
Brasil 26.09.16 09:38
A Lava Jato descobriu também que a planilha "Posição Programa Especial Italiano" continha as propinas pagas pela Odebrecht ao ex-ministro Antonio Palocci.
"Conforme planilha apreendida durante a operação, identificou-se que entre 2008 e o final de 2013, foram pagos mais de R$ 128 milhões ao PT e seus agentes, incluindo Palocci. Remanesceu, ainda, em outubro de 2013, um saldo de propina de R$ 70 milhões, valores estes que eram destinados também ao ex-ministro para que ele os gerisse no interesse do Partido dos Trabalhadores."
As investigações "apontaram evidências de que a atuação do ex-ministro e de Branislav ocorreu mediante o recebimento de propinas pagas pelo grupo empresarial, dentro de um contexto de uma espécie de “caixa geral” de recursos ilícitos que se estabeleceu entre a Odebrecht e o Partido dos Trabalhadores (PT)".
A planilha, segundo o MPF, "era periodicamente atualizada conforme os valores espúrios fossem entregues ao representante do governo federal".
"A análise das anotações registradas nesta planilha aponta para o fato de que grande parte dos valores utilizados para o pagamento das vantagens indevidas se originaram da Braskem, empresa petroquímica que possui diversos contratos com a Petrobras."
"A prova colhida aponta na direção de que os valores ilícitos eram repassados a Palocci de forma reiterada, tanto em período de campanha eleitoral quanto fora dele."
DO PRÉ-SAL AO SUBMARINO NUCLEAR
Brasil 26.09.16 09:34
A Lava Jato descobriu, a partir da análise detalhada de e-mails e anotações registradas em celulares apreendidos, que Antônio Palocci – "contando com importante e constante auxílio de seu assessor Branislav Kontic" - atuou em favor dos interesses do Grupo Odebrecht, entre 2006 e o final de 2013.
Palocci traficou influência para a tomada de decisão do governo federal em diversos temas.
a) a obtenção de contratos com a Petrobras relativamente a sondas do pré-sal;
b) a Medida Provisória destinada a conceder benefícios tributários ao grupo econômico Odebrecht (MP 460/2009)
c) negócios envolvendo programa de desenvolvimento de submarino nuclear - PROSUB;
d) financiamento do BNDES para obras a serem realizadas em Angola.
Diz o MPF que "a atuação de Palocci se deu inclusive no período em que exerceu relevantes funções públicas, envolvendo constante interlocução e diversos encontros".

NO BLOG DO REINALDO AZEVEDO
Lava Jato chega ao núcleo duro do petismo. Soa o alarme no PT: “O alvo é Lula”. Luciano Coutinho na mira
Tanto diretores da Odebrecht como Ricardo Pessoa, da UTC, afirmaram ao Ministério Público que o então presidente do BNDES estimulava os empresários a falar com tesoureiro da campanha de Dilma
Por: Reinaldo Azevedo 
Segunda-feira, 26/09/2016 às 8:02
Desde o começo da Operação Lava Jato, fazia-se uma pergunta surda: “Quando chegará a vez de Antonio Palocci?”. Chegou! Se José Dirceu, antigamente, guardava os arcanos das negociações políticas do PT e depois acabou sendo posto de lado e hoje é um pote até aqui de mágoa com Lula e com o PT, Palocci sempre foi o mago dos entendimentos com o alto empresariado. O Mensalão chegou a tangenciá-lo, na figura de um irmão, mas a coisa não prosperou.
Palocci sempre foi o mago do entendimento com o “capital”. E nunca escondeu que fez disso também uma profissão. Tornou-se o, como vou chamar?, consultor mais bem-sucedido do Brasil, mas raramente se meteu com miudezas do cotidiano. Nunca mais voltou a ter o poder que concentrou quando ministro da Fazenda do primeiro governo Lula — nem no breve tempo que chefiou a Casa Civil no primeiro mandato de Dilma. Mas uma coisa é certa: a falta de poder nunca significou falta de influência. Inclusive junto a Lula.
Na raiz da prisão temporária — que é de cinco dias, renováveis por mais cinco —, consta, estão as suas relações com a Odebrecht. Vamos ver. Executivos da empreiteira negociam um acordo de delação premiada que, até onde se sabe, ainda está longe de ser concluído. A questão é saber se as informações que orientam a operação já derivam dessas informações ou a ela se chegou independentemente da colaboração.
Os três tesoureiros do PT já foram presos. Os dois ministros da Fazenda de Lula já tiveram prisão provisória decretada: Guido Mantega e agora Palocci. Quem aguarda na fila a hora de ser atraído para o olho do furacão é Luciano Coutinho, ex-presidente do BNDES. O banco foi peça central do, digamos assim, modelo econômico do PT.
Segundo informações que já chegaram à imprensa, executivos da Odebrecht teriam revelado aos procuradores que Guido Mantega e Luciano Coutinho usaram o BNDES para pressionar empresários a fazer doações à campanha de Dilma. Ricardo Pessoa, da UTC, fez afirmação semelhante em depoimento a Sergio Moro.
Note-se: nesse caso, não se trata de dizer que o diretor X ou Y da Petrobras, afinal, devia satisfações a Lula porque este, no fim das contas, era o responsável último pelas nomeações. Ninguém tem dúvida de que Mantega, Palocci e Coutinho, estes sim, obedeciam às ordens de um chefe.
Agora a Lava Jato chega ao núcleo duro do sistema.
Prisão justa?
Vamos ver os motivos alegados. Palocci está na mira faz tempo. Segundo a Lei 7.960, ao expediente se justifica nestes três casos:
Art. 1° Caberá prisão temporária:
I – quando imprescindível para as investigações do inquérito policial;
II – quando o indicado não tiver residência fixa ou não fornecer elementos necessários ao esclarecimento de sua identidade;
III – quando houver fundadas razões, de acordo com qualquer prova admitida na legislação penal, de autoria ou participação do indiciado nos seguintes crimes:
a) homicídio doloso;
b) sequestro ou cárcere privado;
c) roubo;
d) extorsão;
e) extorsão mediante sequestro;
f) estupro;
g) atentado violento ao pudor;
h) rapto violento;
i) epidemia com resultado de morte;
j) envenenamento de água potável ou substância alimentícia ou medicinal qualificado pela morte;
l) quadrilha ou bando;
m) genocídio, em qualquer de sua formas típicas;
n) tráfico de drogas;
o) crimes contra o sistema financeiro;
p) crimes previstos na Lei de Terrorismo.
Descartem-se, claro, os Incisos II e III. Assim, Palocci certamente foi preso porque o Ministério Público e o juiz Sergio Moro consideraram que a prisão era imprescindível para a investigação. Quando houver mais dados, ficará claro se era ou não.
De todo modo, ao prender aquele que é, até agora, o petista mais graduado quando se somam a importância que teve no governo, a influência que tem no partido e a proximidade com Lula, a Lava Jato também manda um recado: não se intimidou com os protestos que se sucederam à prisão de Guido Mantega.
O alarme tocou no PT: os capas-pretas do partido acham que a operação está fechando o cerco a Lula.

NO BLOG ALERTA TOTAL
Segunda-feira, 26 de setembro de 2016
Lula tem asilo prontinho na Costa Rica, enquanto a Lava Jato detona a "Operação Omertá" contra Palocci
Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
O cerco se aperta na Lava Jato. Como era previsível, Antônio Palocci Filho, ex-ministro da Fazenda, Casa Civil e permanente coordenador financeiro do PT, é o grande alvo da 35ª operação da Lava Jato, batizada pelo termo mafioso "Omertá". Depois da prisão e soltura de Guido Mantega, na semana passada, Palocci era o alvo programado para uma temporada provisória de pelo menos cinco dias na cadeia. Os homens próximos de Lula começam a cair. O chefão, outrora poderoso, fica cada vez mais preocupado.
Luiz Inácio Lula da Silva, posando há muito tempo de "perseguido político no Brasil", já tem uma alternativa concreta de exílio, caso seja levado à pressão extrema pelos "meninos da Força tarefa da Lava Jato", com condenação e prisão decretada pelo juiz Sérgio Moro. A Costa Rica é o destino planejado, com logística preparada, para o eventual plano de asilo político pedido por Lula. O ex-Presidente já descartou o Uruguai, a Itália, Cuba ou a Venezuela como destinos prováveis.
Um poderoso magistrado costarriquenho que se afeiçoou ideologicamente pelo brasileiro já montou uma luxuosa residência para receber Lula e a esposa Marisa, na situação extrema de uma ilegal fuga para o exterior, a fim de não cumprir uma vergonhosa temporada na cadeia. A revelação de que Lula tem porto seguro na Costa Rica já vaza no indiscreto corpo diplomático daquele país. A vantagem apontada para o nada especulado destino do "Lula autoexilado" é que o lugar fica menos exposto a pressões que outras amigas da turma do Foro de São Paulo.
Em nenhum discurso público, Lula vai admitir a possibilidade de fugir do Brasil. A estratégia defensiva dele, sempre na ofensiva e baseada em mentiras e bravatas que a petelândia ama escutar, promete "luta até o fim". O único detalhe psicológico oculto é que Lula não deseja que o final seja trágico, com previsível condenação e alto risco de prisão - mesmo que seja por horas ou poucos dias, até a obtenção de um habeas corpus que algum apadrinhado no Supremo Tribunal Federal dificilmente negará. Por isso, Lula leva a sério a tática extrema de vazar para o exterior, enquanto os aliados se condoem, posam de perseguidos, e os advogados tentam o milagre de reverter uma condenação dada como líquida e certa.
Enquanto o caso Lula não se resolve, o que deve demorar no minimo uns seis meses, o objetivo de Lula é pressionar ao máximo a turma da "República de Curitiba". Alguns membros da Força Tarefa entenderam como uma "ameaça velada" o fato de Lula ter mencionado, em recente discurso para seu eleitorado, que "não conhece a família dos meninos da força tarefa que o perseguem". A maior bronca de Lula é que ele sabe que está sendo vigiado por agentes federais. Curioso é que a rede de infiltrados da petelândia nos aparelhos policiais e do Judiciário fazem o mesmo com os "inimigos"...
A prisão de Palocci - pedida pela Polícia Federal e não pela Força Tarefa do MPF - pode não ser tão efêmera quanto a de Mantega, embora ele também seja um queridinho do poderoso sistema financeiro tupiniquim. A Omertá investiga indícios de relações criminosas entre Palocci e a cúpula da Odebrecht. Depois da "Arquivo X" e da "Omertá" (o código de silêncio da máfia italiana), a grande pergunta é:
Quando será a Operação Dom Corleone? Ou Poderoso Chefão?
(...)

SEGUNDA EDIÇÃO DE 26-9-2016 DO 'DA MÍDIA SEM MORDAÇA'

NA COLUNA DA VERA MAGALHÃES
Os Círculos da Lava-Jato
Os investigadores dizem que, com a Arquivo X, a Lava Jato chega mais perto do “coração” dos governos de Lula e Dilma Rousseff
Vera Magalhães
Segunda-feira, 26 Setembro 2016 | 05h00
Na semana passada, escrevi neste espaço que o longo e enfático preâmbulo feito pelo procurador Deltan Dallagnol quando Lula foi denunciado não era por acaso, uma vez que o Ministério Público estava preparando outras peças tendo o ex-presidente como alvo. A nova fase da Lava Jato, que atinge o Ministério da Fazenda, faz parte dessa lógica.
Os investigadores dizem que, com a Arquivo X, a Lava Jato chega mais perto do “coração” dos governos de Lula e Dilma Rousseff. Além de Guido Mantega, outros personagens centrais do petismo devem aparecer nessa fase: Antonio Palocci, Erenice Guerra e Luciano Coutinho são alguns dos nomes citados por integrantes da força-tarefa.
A linha de apuração será mostrar que, assim como a Fazenda, a Casa Civil e o BNDES também eram usados para negociar pagamentos de empresários com negócios com o governo para o PT e caciques da legenda. Os dois ex-ministros e o ex-presidente do BNDES já foram citados por delatores em fases anteriores da Lava Jato como interlocutores do partido.
Primeiro, a Lava Jato desvendou a participação de diretores de estatais, dirigentes partidários, empresários e políticos no petrolão. Agora, ao avançar para sua infiltração também nos bancos públicos e na administração direta, quer comprovar a tese de que havia uma “propinocracia” destinada a perpetuar o PT no poder, tendo Lula no centro – como desenhado no já icônico infográfico exibido por Dallagnol na entrevista há duas semanas. 
O X DA QUESTÃO 1 
Lava Jato vai investigar a ligação de Eike com políticos
Eike Batista não teve a prisão pedida, mas a Lava Jato não vai poupá-lo. A força-tarefa vai investigar a ligação do “senhor X” com políticos, sobretudo do PMDB do Rio. Uma conta operada por ele no Panamá já está no radar.
O X DA QUESTÃO 2
Empresário achava que seria tratado como testemunha
Amigos de Eike lamentam que o empresário foi “ingênuo” e “mal orientado” ao depor sobre o encontro com Mantega e o pagamento de R$ 5 milhões ao marqueteiro João Santana. Ele estava certo de que seria tratado como testemunha.
COMUNICAÇÃO
Governo Temer vai centralizar informações e publicidade 
A Secom se antecipou à ideia – que dificilmente vingará, aliás – de criar uma supersecretaria para cuidar da imagem do governo Michel Temer. Na sexta-feira, 23, os assessores de todos os ministérios receberam novas orientações: haverá um novo portal de internet para unificar as informações, as redes sociais dos ministérios serão supervisionadas pelo Planalto e mesmo o plano de gastos em publicidade será centralizado.
AGORA VAI?
Fachin deve pautar denúncia contra Renan ainda este ano
O ministro Edson Fachin vai liberar até o fim do ano para a pauta de julgamentos do Supremo Tribunal Federal a denúncia contra Renan Calheiros (PMDB-AL), da qual é relator. Renan foi denunciado por peculato e falsidade ideológica sob a acusação de ter usado um lobista de empreiteira pagar pensão a uma filha. Fachin – que havia liberado o voto em fevereiro, mas recuou – não quer que Renan deixe a presidência do Senado sem ter a denúncia analisada.

NO O ANTAGONISTA
UMA FAZENDA DE R$ 26 MILHÕES
Brasil 26.09.16 09:26
Em 2012, o jornal Gazeta do Mato Grosso revelou a compra da Fazenda Dora Paulicéia, por Juscelino Dourado, ex-assessor de Antonio Palocci, que também foi preso nesta manhã pela Lava Jato.
A reportagem cravava o valor do negócio: R$ 26 milhões.
A Polícia Federal também cumpriu mandados de busca na propriedade, localizada no km 15 da MT 130, que liga Rondonópolis a Poxoréo. A fazenda pertencia à empresária Dora de Castro e é fruto da divisão da AL Paulicéia, referência na criação de nelore no Brasil.
Dourado era o laranja de Palocci.
O MAIOR OPERADOR
Brasil 26.09.16 09:21
Antonio Palocci é maior que José Dirceu. O Coaf comparou isso ao identificar que o ex-ministro movimentou em quatro anos R$ 216 milhões em suas contas bancárias.
Omertà mobiliza 180 policiais
Brasil 26.09.16 09:10
Ao todo, eles cumprem 45 ordens judiciais, sendo 27 mandados de busca e apreensão, três mandados de prisão temporária e 15 de condução coercitiva.
Foram mobilizados 180 policiais federais e auditores fiscais.
Confira os locais:
Salvador (BA): dois mandados de busca e apreensão e um de condução coercitiva
Camaçari (BA): um mandado de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva
Rondonópolis (MT): um mandado de busca e apreensão
Brasília (DF): um mandado de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva
Vitória (ES): um mandado de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva
Rio de Janeiro (RJ): dois mandados de busca e apreensão e dois mandados de condição coercitiva
São Paulo (SP): 13 mandados de busca e apreensão, três mandados de prisão temporária e seis mandados de condução coercitiva
Campinas (SP): dois mandados de busca e apreensão
Ribeirão Preto (SP): um mandado de busca e apreensão
Itapecerica da Serra (SP): um mandado de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva
Taboão da Serra (SP): um mandado de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva
Campo Grande (MS): um mandado de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva.
O MINISTRO DA FAZENDA COMPROU UMA FAZENDA
Brasil 26.09.16 09:09
Antonio Palocci, com dinheiro de propina, comprou uma fazenda no Mato Grosso, registrada em nome de laranjas.
Diz o Estadão, baseado em relatório da Receita Federal:
"A investigação em curso tem foco em empresa de consultoria de ex-ministro, que teria auferido expressivos valores de várias pessoas jurídicas investigadas na Operação Lava Jato, algumas ligadas a operadores financeiros envolvidos nesse esquema ilícito.
Outra frente de investigação seria a possível operação de lavagem de dinheiro em transações imobiliárias.
Nesse contexto, o Fisco menciona a aquisição de uma 'extensa' propriedade rural no Mato Grosso. Essa aquisição aparentemente foi feita com a utilização de pessoas interpostas (laranjas) ligadas ao ex-ministro".
O prédio de Lula no celular de Odebrecht
Brasil 26.09.16 09:02
O relatório da PF sobre o prédio do Instituto Lula, que apareceu no telefone celular de Marcelo Odebrecht, dizia:
"Em relação à anotação 'Prédio (IL)' a Equipe de Análise consignou ser possível que tal rubrica faça referência ao Instituto Lula. Caso a rubrica 'Prédio (IL)' refira-se ao Instituto Lula, a conclusão de maior plausibilidade seria a de que o Grupo Odebrecht arcou com os custos de construção da sede da referida entidade e/ou de outras propriedades pertencentes a Luiz Inácio Lula da Silva".
E também:
"Há, em anotação do celular de Marcelo Bahia Odebrecht menção a palavra 'Prédio'. Na nota, a palavra está acompanhada de 'Vaca', sendo que a conclusão alcançada foi a de que seriam disponibilizados recursos a João Vaccari Neto.
A composição do valor de R$ 12.422.000 faz referência a valores específicos, possivelmente devidos em razão de serviços prestados, por exemplo, cujo valor é calculado com base no preço de produtos e mão de obra".
O LINGUARUDO
Brasil 26.09.16 08:59
Alexandre de Moraes antecipou a operação da Lava Jato que prendeu Antonio Palocci. Só faltou avisar quem seria o alvo. O ministro linguarudo colocou em risco o trabalho da Polícia Federal.
Palocci, o ministro da sua própria estabilidade
Brasil 26.09.16 08:35
Com a prisão temporária de Antonio Palocci, os dois ministros da Fazenda dos governos Lula e Dilma estão encrencados com a Lava Jato (Joaquim Levy não foi ministro, foi bobo da corte).
Palocci era o querido dos banqueiros, das empreiteiras -- e dos jornalistas babões. Vendia-se também como o fiador da estabilidade econômica no governo Lula.
Na verdade, a única coisa que lhe interessava era a sua própria estabilidade financeira.
"PRÉDIO (IL)"
Brasil 26.09.16 08:33
A Odebrecht é acusada de ter dado 12,4 milhões de reais em propina para Lula.
Leia o que O Antagonista publicou sete meses atrás:
Uma planilha de repasses da Odebrecht traz a seguinte anotação, ao lado da quantia de 12,4 milhões de reais:
"Prédio (IL)".
Os investigadores suspeitam que se trate de dinheiro ter sido usado na construção do prédio do Instituto Lula.
"Assim, caso a rubrica 'Prédio (IL)' refira-se ao Instituto Lula, a conclusão de maior plausibilidade seria a de que o Grupo Odebrecht arcou com os custos de construção da sede da referida entidade e/ou de outras propriedades pertencentes a Luiz Inácio Lula da Silva".
De acordo com o registro, "o dinheiro teria sido repassado em parcelas de 3,1 milhões, 8,2 milhões e 1 milhão de reais".
O PRÉDIO CAIU!
Brasil 26.09.16 08:26
A Omertà investiga o prédio que a Odebrecht deu para Lula.
O caso foi revelado aqui:
Odebrecht comprou um prédio para Lula
Brasil 12.07.16 08:07
A Odebrecht comprou um prédio para o Instituto Lula.
A Lava Jato já descobriu que a compra do imóvel foi feita em nome da DAG Construtora.
De acordo com O Globo, a DAG Construtora, de Salvador, "pertence a Demerval Gusmão, amigo e parceiro de negócios de Marcelo Odebrecht, dono da empreiteira.
A DAG é a mesma que, em 2013, a pedido da Odebrecht, pagou o jatinho que levou o ex-presidente Lula a Cuba, República Dominicana e Estados Unidos".
Embora o prédio tenha sido efetivamente comprado pela DAG, prossegue a reportagem, "o Instituto Lula não ganhou a sede e acabou sendo instalado no prédio do antigo Instituto Cidadania, no Ipiranga, onde permanece até hoje. Os responsáveis pela compra teriam desistido do projeto original de uso depois de descobrir que o imóvel estava envolvido em pendências judiciais dos antigos proprietários".
Mas os peritos da Lava Jato que analisaram os documentos encontrados na casa de Lula concluíram que eles se referem "à reforma do imóvel da Rua Haberbeck Brandão, 178”, na Vila Clementino, e que o “terreno foi objeto de negociação para atender os interesses do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva”.
URGENTE, URGENTÍSSIMO: LULA GANHOU UM PRÉDIO
Brasil 26.09.16 08:20
Lula também é alvo da Omertà.
Segundo a Veja, "a nova etapa das investigações sobre o Petrolão apura também supostos favorecimentos ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por meio do Setor de Operações Estruturadas, considerado um departamento da propina da Odebrecht.
As suspeitas de novas benesses em favor de Lula teriam intermediação do pecuarista José Carlos Bumlai, já preso na Lava Jato. Investigadores que atuam no caso estimam que este flanco da apuração superaria o que foi descoberto de Lula sobre o tríplex no Guarujá e sobre o sítio de Atibaia. Os novos indicativos envolvem um prédio que seria destinado ao ex-presidente".
DEFESA UNIDA JAMAIS SERÁ VENCIDA
Brasil 26.09.16 08:02
Antonio Palocci tem o mesmo advogado de Lula e de Guido Mantega.
No código da máfia siciliana, um criminoso protege o outro. Esse é o significado de omertá.
CASA CIVIL NA CADEIA
Brasil 26.09.16 07:56
Além de Antonio Palocci, a PF prendeu também seus dois principais assessores (e operadores) na Fazenda e na Casa Civil, Juscelino Dourado e Branislav Kontic.
ANGOLA É LULA (E FEIRA)
Brasil 26.09.16 07:40
Antonio Palocci recebeu propina para que o BNDES liberasse empréstimos à Odebrecht em Angola.
Angola é Lula. Angola é João Santana. Angola é Franklin Martins.
Em 2012, ao fazer uma reportagem em Angola sobre a participação de João Santana na eleição local, a BBC “ouviu de pessoas próximas à cúpula do MPLA, o partido do presidente angolano, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi decisivo para a sua escolha como chefe da campanha.
Lula esteve no país em junho de 2011, quando se reuniu no mesmo dia com o presidente angolano e com o então presidente da Odebrecht, Emílio Odebrecht. Naquela viagem, paga pela Odebrecht, Lula ainda visitou uma obra da empresa”.
A PROPINA DE 40 MILHÕES DE REAIS PARA O PT
Brasil 26.09.16 07:38
"Palocci não está preso?"
Foi o que O Antagonista perguntou em junho:
Palocci não está preso?
Brasil 02.06.16 18:46
O Estadão disponibilizou a íntegra da delação de Nestor Cerveró.
Estão lá as declarações do ex-diretor sobre sua participação em diversas negociatas, inclusive na aquisição de blocos de petróleo pela Petrobras em Angola.
Ele confirma o pagamento de propina a agentes do governo angolano e de um acerto com o PT para o repasse de R$ 40 milhões destinados a campanhas do partido.
Tudo negociado por Antonio Palocci.

PRIMEIRA EDIÇÃO DE 26-9-2016 DO 'DA MÍDIA SEM MORDAÇA'

NO BLOG DO FAUSTO MACEDO
Palocci é preso na Lava Jato
Polícia Federal deflagrou a 35ª fase da operação
Fausto Macedo, Julia Affonso e Ricardo Brandt
Segunda-feira, 26 Setembro 2016 | 06h45
O ex-ministro Antonio Palocci. Foto: André Dusek/Estadão

A Polícia Federal deflagrou a Operação Omertà, 35ª fase da Lava Jato nesta segunda-feira, 26. O ex-ministro Antonio Palocci foi preso.
A Receita Federal dá apoio à ação. As equipes policiais estão cumprindo 45 ordens judiciais, sendo 27 mandados de busca e apreensão, 3 mandados de prisão temporária e 15 mandados de condução coercitiva.
Aproximadamente 180 policiais federais e auditores fiscais estão cumprindo as determinações judiciais em cidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.
Nesta fase da operação Lava Jato são investigados indícios de uma relação criminosa entre o ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda com o comando da principal empreiteira do País. Segundo a Federal, o investigado principal atuou diretamente como intermediário do grupo político do qual faz parte perante o Grupo Odebrecht.
Há indícios de que o ex-ministro atuou de forma direta a propiciar vantagens econômicas ao grupo empresarial nas mais diversas áreas de contratação com o Poder Público, tendo sido ele próprio e personagens de seu grupo político beneficiados com vultosos valores ilícitos.
Dentre as negociações identificadas foi possível delinear as tratativas entre o Grupo Odebrecht e o ex-ministro para a tentativa de aprovação do projeto de lei de conversão da MP 460/2009 (que resultaria em imensos benefícios fiscais), aumento da linha de crédito junto ao BNDES para país africano com a qual a empresa tinha relações comerciais, além de interferência no procedimento licitatório da Petrobrás para aquisição de 21 navios sonda para exploração da camada pré sal.
Outro núcleo da investigação apura pagamentos efetuados pelo chamado “setor de operações estruturadas” do Grupo Odebrecht para diversos beneficiários que estão sendo alvo de medidas de busca e condução coercitiva.
São apuradas as práticas, dentre outros crimes, de corrupção, associação criminosa e lavagem de dinheiro.
O nome “Omertà” dado à investigação policial é uma referência a origem italiana do codinome que a construtora usava para fazer referência ao principal investigado da fase (“italiano”), bem como ao voto de silêncio que imperava no Grupo Odebrecht que, ao ser quebrado por integrantes do “setor de operações estruturadas” permitiu o aprofundamento das investigações. Além disso, remete a postura atual do comando da empresa que se mostra relutante em assumir e descrever os crimes praticados
Nos casos dos investigados para os quais foram expedidos mandados de condução coercitiva, estes estão sendo levados às sedes da Polícia Federal nas respectivas cidades onde foram localizados a fim de prestarem os esclarecimentos necessários. Os investigados serão liberados após serem ouvidos no interesse da apuração em curso.
Os presos serão levados à Polícia Federal em Curitiba onde permanecerão à disposição das autoridades responsáveis pela investigação.

NA COLUNA DO CLÁUDIO HUMBERTO
26 DE SETEMBRO DE 2016
Apesar do chororô de “golpe”, o PT de Lula e Dilma continua a amar o partido de Eduardo Cunha, Renan Calheiros e do presidente Michel Temer: PT e PMDB estão coligados em 8.488 candidaturas em 570 municípios, nas eleições deste ano. Os petistas, que continuam xingando partidários de Temer, disputam com eles em todos as regiões do País que realizam eleições, apesar de toda a lorota de “traição”.
Em 1.090 candidaturas, PT e PMDB são os únicos partidos das chapas que disputam a eleição municipal do próximo domingo (2).
O PT de Dilma e Lula se aliou exclusivamente ao PSDB de Aécio Neves e ao PMDB do Michel Temer em 27 candidaturas este ano.
A única candidatura a prefeito apoiada pela a inédita aliança PT-PMDB-PSDB é de Elimar Senen (PMDB) em... Petrolândia (SC).
“Estão coligados conosco em quase 600 municípios. Isso desmascara totalmente a balela do ‘golpe’”, diz Darcísio Perondi (PMDB-RS).
A estratégia foi definida em reunião reservada do PT e segredada por Lula, há dias, em sua visita ao Ceará: provocar ao máximo o juiz Sérgio Moro a fim de que ele perca a paciência e reaja com declaração forte contra o ex-presidente Lula. O objetivo da estratégia, recomendada por advogados petistas, é criar pretexto para alegar “suspeição” do juiz que faz Lula tremer de medo, conseguindo tirar o processo das suas mãos.
Lula teve reuniões dramáticas com seus advogados, aos quais pediu uma única coisa: conseguirem, a qualquer preço, livrá-lo de Moro.
Foram destacados para provocar Sérgio Moro o próprio Lula, seus advogados, parlamentares, sindicalistas e o presidente do PT.
Lula difunde a fantasia de que virou réu por “razões políticas”. Diz apostar que ninguém terá “coragem” de prendê-lo.
Para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, mudanças previstas na reforma política “afetam profundamente” os deputados, e lembrou que são necessários 308 votos para aprovar uma Emenda à Constituição.
O rombo de R$ 170 bilhões não impediu a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, presidida por Gleisi Hoffmann (PT-PR), de perdoar R$1 bilhão de dívidas de países africanos. Na era PT, “perdão” assim foi usado para viabilizar financiamentos suspeitos do BNDES
Servidores da área de comunicação pretendem pedir ao presidente do Senado, Renan Calheiros, a suspensão do ponto eletrônico. Preferem trabalhar de casa. Talvez na academia de ginástica, no cinema...
O Instituto Socioambiental (ISA), beneficiado pelo Fundo Amazônia, gerido pelo BNDES, informa que aplica os recursos em projetos para “consolidar a redução do desmatamento da Amazônia”. Seu trabalho é auditado e seus relatórios financeiros disponibilizados online.
Partidos menores e nanicos como PCdoB, PDT, PSOL e Rede, devem se unir ao PT para tentar barrar na Câmara dos Deputados a proposta de reforma política em discussão no Senado.
Moradores do condomínio Park Palace, no Rio de Janeiro, andam muito curiosos sobre o relacionamento de dois ilustres vizinhos: o ex-deputado Eduardo Cunha, e os antigos aliados da família Picciani.
O deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) não esconde o desejo em interrogar o ator José de Abreu, na CPI da Lei Rouanet. No entanto, ele afirma que na Câmara dos Deputados “está tudo parado até a eleição”.
O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) ainda acredita que Eduardo Cunha negocia acordo de delação. “O anunciado livro sobre o impeachment é a senha. Delação de capa dura, editora MPF”, ironiza.
Se o PT grita tanto “Fora, Temer”, por que o partido não consegue levar às ruas nem sequer 8% dos seus 1,7 milhão de filiados?

NO BLOG DO REINALDO AZEVEDO
Alexandre de Moraes, a Lava-Jato, eu, meus bisnetos e a 884ª fase da operação
Como jornalista, espero acompanhar ao menos 487... É preciso ter informação privilegiada para antever nova uma nova etapa?
Por: Reinaldo Azevedo 
Segunda-feira, 26/09/2016 às 6:29
Esperem aí, vamos com calma!
Nem gafe nem revelação indevida. Estamos diante da simples adivinhação do óbvio. Neste domingo, 25, Alexandre de Moraes, ministro da Justiça, esteve em Ribeirão Preto-SP para participar da campanha do tucano Duarte Nogueira à Prefeitura da cidade. Segundo o Estadão, numa conversa com integrantes do MBL, o ministro afirmou sobre as operações da Lava-Jato: “Teve a semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim”.
Bem, desnecessário dizer que teve início um falatório dos diabos. Por quê? Como é sabido, a Polícia Federal está, sim, subordinada à Pasta da Justiça, mas tem autonomia. O ministro não é previamente avisado das operações. Aliás, essa é uma das práticas com a qual o PT nunca se conformou. Gostava do tempo em que a PF — e, por um período, no governo Lula, foi assim — era, na prática, a PF do PT.
Notem: o ministro respondia a indagações sobre o eventual interesse do governo em pôr fim à Lava-Jato, suspeita que volta e meia se levanta. Para encarecer o fato de que assim não é, ele disse o que parece evidente: “Pode esperar outra fase da operação…” Ou alguém duvida disso?
Eu mesmo já me preparo para fazer relatos a meus bisnetos adolescentes, ali pelo ano 2055 (estarei com 94, de cócoras, como um índio velho, contando histórias), sobre as 487 fases que terei acompanhado como jornalista (na hipótese de eu trabalhar até os 75). A moçada estará ligadona no vovô Deltan botando pra quebrar na 884ª fase da operação… Ah, sim: lê-se “octingentésima octogésima quarta…
De resto, vamos parar de conversa mole. Todos os jornalistas sabiam com antecedência que haveria uma nova fase da operação na semana passada. Eu sabia! Por alguma razão, vazou-se que aconteceria na quarta-feira,21. Como de hábito, foi na quinta-feira, 22.
Quanto à besteira de que a eventual ilegalidade da prisão de Guido Mantega poderia brecar a Lava-Jato, cumpre notar que a Polícia Federal só executa mandado de busca e apreensão, faz condução coercitiva ou prende alguém com autorização de um juiz.
Não creio que Sérgio Moro tenha combinado alguma coisa com o ministro da Justiça…

NO BLOG DO JOSIAS
Falta ao governo Temer uma voz, não porta-voz
Josias de Souza
Segunda-feira, 26/09/2016 05:04
Governos confusos têm uma estranha mania. Além de não resolver as dificuldades existentes, criam problemas que não precisariam existir. Nesse exato instante, a gestão Temer oferece um exemplo ilustrativo, com a momentosa questão do porta-voz. Falta um porta-voz ao governo, concluíram o presidente e seus principais auxiliares. O que falta a este governo é um porta-voz, ecoam parlamentares governistas. De repente, o noticiário está tomado pela gritante falta do porta-voz.
É possível que o João das Couves, um dos 12 milhões de brasileiros desempregados, já tenha comentado com a patroa na hora do jantar: “O que está faltando a este governo é um porta-voz.” Convidado por Temer, um jornalista especializado em gestão de crises refugou a missão. Mas entregou ao presidente um plano a ser executado pelo futuro porta-voz, para que o governo passe a se comunicar adequadamente com a sociedade.
A essa altura, o País já está impregnado da falta do porta-voz. Todos anseiam por ele, sofrem com sua falta ausência. Convém recordar como tudo começou. O ministro da Saúde disse um par de tolices. O ministro do Trabalho se enrolou na própria língua ao falar sobre reforma trabalhista. O titular da Casa Civil meteu-se na seara do czar da Fazenda. Os auxiliares de Temer se desentendem sobre a data do envio da proposta de reforma da Previdência ao Congresso. Foi contra esse pano de fundo que surgiu a novidade de que Temer nomearia um porta-voz.
Imaginar que um porta-voz dará uniformidade a um governo tão desuniforme é supor que o problema do doente pode ser resolvido retocando as manchas da radiografia. A realidade é que há no ermo da Brasília pós-impeachment um vozerio desconexo. Faltam estabilidade monetária, equilíbrio fiscal, empregos e ética. Admita-se que Temer nomeie um porta-voz. No dia seguinte, a inflação e os gastos públicos continuarão altos. Os empregos não reaparecerão. E não haverá um surto de honestidade na República.
O que falta ao governo é funcionalidade e uma voz de comando capaz de inspirar esperança. Sem ela, um porta-voz se limitará a rogar diariamente para que todos creiam em tudo o que ele foi capaz de ver com estes olhos que a imprensa haverá de comer.

NO BLOG DO ALUIZIO AMORIM
Segunda-feira, setembro 26, 2016
Os observadores mais argutos e bem informados e que têm noção da guerra cultural que se trava principalmente por meio da grande mídia não conseguem mais engolir esses programas - principalmente de emissoras de TV como a Globo News, para citar a mais vista sem dúvida - que reúnem especialistas em política para debater determinado tema.
Normalmente são convidados os tais "cientistas sociais" uma designação completamente deformada porque não existem cientistas sociais, no máximo sociólogos. Ciência se faz, se ensina e se estuda nas áreas científicas. Esse tais cientistas sociais são no máximo palpiteiros.
Portanto, não dá mais para concordar que para debater determinado tema político como o impeachment da governanta se convide para debater o "outro lado", que significa aqueles que lutam para restaurar o poder do PT. Normalmente são psicopatas ditos professores universitários autointitulados "intelectuais".
A desculpa sempre é que precisa ouvir o "outro lado". Neste caso convida-se um desses famigerados comunistas de terno e gravata, aparentemente educados. 
Se se deve ouvir o outro lado comunista a mesma regra seria aplicada também aos fascistas e nazistas. Sim, porque não existe nenhuma diferença entre os três: todos são estatistas e totalitários. Todos os governos comunistas, nazistas e/ou fascistas têm o mesmo viés. Todos são ditatoriais, assassinos, mentirosos, corruptos e ladrões.
E mesmo alguns poucos jornalistas que não são esquerdistas também convidam para debater esses rematados comunistas de academia. Fazem a sua média com medo do passaralho. Explica-se: as redações são dominadas por esquerdistas e até mesmo os donos dos veículos de comunicação desejam que se ouça o "outro lado". Esses andróides querem ficar de bem com todo mundo, nem que esse "todo mundo' faça o que acabou de fazer com o Brasil, lançando a Nação no precipício econômico, social e político. Simplesmente detonaram o País.
Não fosse a Operação Lava a Jato ter descoberto tudo, já estaríamos completamente mergulhados no fundo do poço como está a população da Venezuela. Sem falar nos cubanos há 57 anos vivendo todas as privações, sendo que a maior delas é a privação da liberdade!
Os veículos de comunicação têm de acabar com essa funesta regra de convidar para debater e emitir opiniões esses comunistas vagabundos mentirosos e ladravazes. Afinal, se a regra fosse seguida ao pé da letra teriam de ser ouvidos e entrevistados, como frisei, os nazistas e os fascistas. 
Ah, não pode? Me provem então qual a diferença que existe entre esses semoventes metidos a intelectuais com seus congêneres nazistas e fascistas?

NO O ANTAGONISTA
"VULTUOSOS VALORES ILÍCITOS"
Brasil 26.09.16 07:17
A nota da PF sobre a Omertà diz:
"Há indícios de que o ex-ministro (Antonio Palocci) atuou de forma direta a propiciar vantagens econômicas ao grupo empresarial (Odebrecht) nas mais diversas áreas de contratação com o Poder Público, tendo sido ele próprio e personagens de seu grupo político (PT) beneficiados com vultosos valores ilícitos.
As investigações apontam ainda que dentre as negociações estão tratativas entre o grupo Odebrecht e o ex-ministro para a tentativa de aprovação do projeto de lei de conversão da MP 460/2009, que resultaria em imensos benefícios fiscais, aumento da linha de crédito junto ao BNDES para país africano com a qual a empresa tinha relações comerciais (E Lula? E Franklin Martins?), além de interferência em licitações da Petrobras para aquisição de 21 navios sonda para exploração da camada pré-sal".
PALOCCI NO BNDES (E LULA?)
Brasil 26.09.16 07:08
O mandado de prisão contra Antonio Palocci acusa-o de envolvimento em fraude para empréstimo do BNDES a um país africano.
A ordem partiu do comandante máximo?
PALOCCI PRESO (E MAIS DOIS)
Brasil 26.09.16 06:53
Antonio Palocci já foi preso. Mas a Lava Jato vai levar mais dois petistas para a carceragem da PF.
A Omertà cumpre três mandados de prisão temporária, 15 de condução coercitiva e 27 de busca e apreensão.
A PF está agindo em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.
"Que seja condenado"
Brasil 26.09.16 06:27
O MPF pediu a Sérgio Moro a condenação de Gim Argello por organização criminosa, corrupção passiva, concussão, lavagem de dinheiro e embaraço à investigação.
Nas alegações finais de ação penal da Lava Jato, os procuradores pediram ainda a condenação dos empreiteiros Ricardo Pessoa e Léo Pinheiro (e a manutenção da prisão preventiva deste último).
Léo Pinheiro não colabora
Brasil 26.09.16 06:22
Os procuradores da Lava Jato rejeitaram o depoimento de Léo Pinheiro ao juiz Sérgio Moro, quando ele admitiu o pagamento de propina a Gim Argello, Vital do Rêgo e Marco Maia para afundar a CPI da Petrobras.
De acordo com o Ministério Público Federal, em documento reproduzido pelo Estadão, o empreiteiro “não inovou na instrução, tampouco auxiliou na expansão das investigações, pressuposto básico para se falar em colaboração”.
E também:
“Apenas foram trazidos à baila, parcialmente, fatos já descortinados por provas materiais e depoimentos de colaboradores e testemunhas. Houve, portanto, por parte de Léo Pinheiro, uma inegável tática de contenção de danos”.
Avancini confirma ao TSE propina de R$ 100 milhões
Brasil 25.09.16 20:48
Dalton Avancini, ex-presidente da Camargo Corrêa, confirmou em depoimento ao TSE que pagou R$ 100 milhões em propinas por contratos, informa Andréia Sadi. Avancini não detalhou as obras nem as datas.
O Antagonista já publicou que o dinheiro saiu de obras de Belo Monte e abasteceu o PT e o PMDB.
Propina no claro, propina no escuro
Brasil 25.09.16 20:34
A Lava Jato investiga Edison Lobão e Cândido Vaccarezza por cobrança de propinas nos contratos de transporte de óleo cru e produtos claros e escuros da Petrobras.
Segundo os investigadores, o esquema teria sido operado para o PT por Vaccarezza, auxiliado por Jorge Luz e Fernando Baiano. No caso do PMDB, Lobão seria o responsável, com apoio de Carlos Murilo Barbosa Lima - citado no Mensalão.
A propina, segundo fontes do MPF, chegou a R$ 6 milhões por mês.
A versão mais provável
Brasil 25.09.16 19:55
O Antagonista foi informado de que Eliane Berger foi submetida no Albert Einstein a uma histeroscopia cirúrgica, que nada mais é do que uma endoscopia ginecológica.
No caso, o procedimento foi indicado para a biópsia do câncer. É feito com anestesia local e sob sedação, no centro cirúrgico.
A apologia de Madame Grazziotin
Brasil 25.09.16 19:17
Vanessa Grazziotin foi do Amazonas ao Pará para gravar um vídeo de apoio à candidatura de Senhorita Andreza, que quer ser vereadora "sem embaçamento".
Andreza foi presa recentemente por apologia ao tráfico de drogas.
Alexandre de Moraes: "Foi força de expressão"
Brasil 25.09.16 18:55
Alexandre de Moraes entrou em contato com o Antagonista para dizer que foi "simplesmente uma força de expressão" a frase "esta semana vai ter mais" Lava Jato, dita a representantes do MBL e reproduzida pelo Estadão.
"Toda semana praticamente está acontecendo alguma coisa", disse, por meio da assessoria. Sobre a expressão "vão lembrar de mim", Moraes quis dizer que "o governo está apoiando" a operação.
O Antagonista sugere ao ministro que seja mais claro da próxima vez e torça para não ter Lava Jato esta semana.
Vale-gasolina
Brasil 25.09.16 12:40
O Ministério Público Eleitoral em Sobral, no Ceará, também já recebeu imagens dos tíquetes que estariam sendo distribuídos para a população: um vale-gasolina no valor de 20 reais.
A compra de votos - por dinheiro ou qualquer outro tipo de benesse - é crime eleitoral.
Se o Brasil fosse um país sério, todo candidato que o cometesse deveria ser punido com cassação do registro ou do diploma do candidato, multa e inelegibilidade por oito anos.

Irmão de Ciro Gomes enche o tanque
Brasil 25.09.16 12:20
Uma multidão se concentrou em um posto de combustíveis em Sobral, no Ceará, após ser espalhada a informação de que estavam distribuindo gasolina.
A Veja.com diz que Ivo Gomes, o irmão de Ciro Gomes que concorre à prefeitura local, mandou liberar as bombas para o eleitorado.


REFLEXÃO ESPÍRITA CRISTÃ

"Orar sempre e nunca desfalecer." (Lucas, 18:1)
Não permitas que os problemas externos, inclusive os do próprio corpo, te inabilitem para o serviço da tua iluminação.
Enquanto te encontras no plano de exercício, qual a crosta da Terra, sempre serás defrontado pela dificuldade e pela dor.
A lição dada é caminho para novas lições.
Atrás do enigma resolvido, outros enigmas aparecem.
Outra não pode ser a função da escola, senão ensinar, exercitar e aperfeiçoar.
Enche-te, pois, de calma e bom ânimo, em todas as situações.
Foste colocado entre obstáculos mil de natureza estranha, para que, vencendo inibições fora de ti, aprendas a superar as tuas limitações.
Enquanto a comunidade terrestre não se adaptar à nova luz, respirarás cercado de lágrimas inquietantes, de gestos impensados e de sentimentos escuros.
Dispõe-te a desculpar e auxiliar sempre, a fim de que não percas a gloriosa oportunidade de crescimento espiritual.
Lembra-te de todas as aflições que rodearam o espírito cristão, no mundo, desde a vinda do Senhor.
Onde está o Sinédrio que condenou o Amigo Celeste à morte?
Onde os romanos vaidosos e dominadores?
Onde os verdugos da Boa Nova nascente?
Onde os guerreiros que fizeram correr, em torno do Evangelho, rios escuros de sangue e suor?
Onde os príncipes astutos que combateram e negociaram, em nome do Renovador Crucificado?
Onde as trevas da Idade Média?
Onde os políticos e inquisidores de todos os matizes, que feriram em nome do Excelso Benfeitor?
Arrojados pelo tempo aos despenhadeiros de cinza, fortaleceram e consolidaram o pedestal de luz, em que a figura do Cristo resplandece, cada vez mais gloriosa, no governo dos séculos.
Centraliza-te no esforço de ajudar no bem comum, seguindo com a tua cruz, ao encontro da ressurreição divina. Nas surpresas constrangedoras da marcha, recorda que, antes de tudo, importa orar sempre, trabalhando, servindo, aprendendo, amando, e nunca desfalecer.

XAVIER, Francisco Cândido. Fonte Viva. Pelo Espírito Emmanuel. FEB. Capítulo 61.
Da página http://www.reflexoesespiritas.org de 26-9-2016.

domingo, 25 de setembro de 2016

PRIMEIRA EDIÇÃO DE 25-9-2016 DO 'DA MÍDIA SEM MORDAÇA'

NA COLUNA DO CLÁUDIO HUMBERTO
DOMINGO, 25 DE SETEMBRO DE 2016
Petistas agora são acusados de fraudar até a campanha “Stand With Lula”, em Nova York, supostamente promovida por “entidades internacionais” em defesa do ex-presidente que é réu por corrupção. O suposto “movimento internacional”, lançado simultaneamente à abertura da assembleia geral da ONU, é bem brasileiro, chefiado por um João Felício, sindicalista fundador do PT e ex-presidente da CUT.
A central sindical petista CUT, que ganhou orçamento milionário nos governos do PT, é patrocinadora do “movimento internacional”.
No Brasil, o evento foi divulgado como iniciativa de líderes estrangeiros solidários a Lula, mas eram apenas dois advogados do ex-presidente.
A iniciativa, ordenada pelo PT, tenta minimizar os danos à imagem de Lula no exterior, hoje vinculada a notícias de roubo do dinheiro público.
O tal “movimento” foi lançado no Rockfeller Center, ícone da pátria do capitalismo localizado na 5ª Avenida, região tomada por grifes de luxo.
O Risco Brasil, índice que mede o grau de confiança do mercado sobre a economia e serve de base para investimentos estrangeiros no Brasil, caiu 22,6% após o impeachment de Dilma Rousseff e a confirmação de Michel Temer na Presidência da República. Entre a votação na Câmara e o afastamento pelo Senado, o índice caiu de 394 para 376, mas despencou para 309 no dia do afastamento definitivo, em 31 de agosto.
Com Dilma na Presidência, desde quando o processo de impeachment foi aberto, o Risco Brasil chegou a 569 pontos.
Do primeiro dia de Dilma na Presidência até sua destituição, o Risco Brasil passou de 181 para 376, num crescimento de 107%.
Às vésperas da eleição de Lula, em 2002, o Risco Brasil foi a 2.436 pontos, o maior na série histórica divulgada pelo IPEA desde 1994.
Enquanto o trabalhador se vira para passar o mês com o salário mínimo de R$ 880, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que ganha R$ 33,7 mil mensais, cobrou reembolso de R$690 de uma diária de hotel.
Aliados do presidente Michel Temer acham que o governo está no caminho certo, mas o País ainda vive “crise enorme, tanto na política quanto na economia” diz o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM).
Com mais de 10 mil funcionários do governo federal filiados ao PT, Brasília passa por uma debandada de famílias que perderam suas boquinhas. Estima-se que 50 mil pessoas vão se mudar.
O PT tem 1,76 milhão de filiados, mas as manifestações “Fora, Temer”, somadas às greves de professores e de outras carreiras, nem sequer colocaram 130 mil nas ruas, segundo os próprios organizadores.
O projeto de reforma política em discussão no Senado, que prevê a redução do número de partidos e o fim das coligações proporcionais nas eleições, não tem votos suficientes para ser aprovado na Câmara. A avaliação é do próprio Palácio do Planalto, que monitora o caso.
Apesar da “briga” de Renan Calheiros e Rodrigo Maia, presidentes do Senado e da Câmara, ambos concordam que deve haver mudanças na Lei de Repatriação de recursos. Políticos podem se beneficiar.
Segundo a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, 47% dos empresários brasileiros apontam os EUA como mercado prioritário, seguido por China (28%). Para 4% é a Europa. Optam pela África 2%.
O avanço de 0,3% do setor industrial no segundo trimestre deste ano, segundo dados da Contas Nacionais do IBGE, interrompeu uma sequência de cinco quedas consecutivas e reflete a melhora no cenário da indústria ao longo de 2016, segundo a Carta de Conjuntura do Ipea.
É mais desumano prender o ministro acusado de corrupção cuja mulher está doente ou roubar o dinheiro destinado à saúde pública?

NO DIÁRIO DO PODER
TSE considera hipótese de poupar Michel Temer
Josias de Souza
Domingo, 25/09/2016 03:08
A equipe técnica do Tribunal Superior Eleitoral julga ter reunido provas suficientes para sustentar que o financiamento da campanha à reeleição de Dilma Rousseff e Michel Temer incluiu verbas desviadas do esquema criminoso da Petrobras. São evidências documentais e testemunhais suficientes para justificar a cassação da chapa que prevaleceu em 2014. Como Dilma já foi deposta, o mandato que está em jogo é o de Temer. E já começam a soar no TSE avaliações sobre a conveniência de poupar o substituto constitucional de Dilma.
O blog ouviu dois dos sete ministros que compõem o plenário do TSE. Um deles disse que o tribunal não pode ficar alheio à conjuntura. Acrescentou que, ao julgar o processo, os ministros “talvez tenham que fazer um juízo atenuatório, levando em conta as consequências” de uma interrupção da Presidência de Temer. O outro ministro declarou que “a eventual preservação do mandato do presidente substituto não seria nenhuma aberração jurídica.”
Aberta a partir de representações feitas pelo PSDB, a investigação da campanha de Dilma submete o TSE a um quadro inédito. O Tribunal jamais chegara tão longe na análise de uma prestação de contas presidencial. A depender da vontade do seu presidente, o ministro Gilmar Mendes, a Corte eleitoral transformará o processo num inventário implacável das ilegalidades cometidas em 2014. Algo a ser amplamente divulgado, como uma resposta à altura da tentativa do PT de converter a Justiça Eleitoral em lavanderia de verbas sujas.
Se a chapa Dilma-Temer fosse cassada pelo TSE até o final do ano, o brasileiro teria a oportunidade de escolher um novo presidente da República em eleição direta. É o que determina a Constituição. Entretanto, são grandes as chances de o julgamento ser empurrado para 2017. Nessa hipótese, caberia ao Congresso Nacional, apinhado de parlamentares sob investigação no Petrolão, apontar o nome do próximo presidente. A eleição indireta é um dos fatores que levam ministros do TSE a afastar a corda do pescoço de Temer.
Confirmando-se as tendências atuais, o TSE terá trabalho para justificar um paradoxo: depois de transformar a auditoria nas contas de Dilma num marco, o Tribunal servirá um refresco a Temer, mantendo sua tradição de cassar apenas vereadores, prefeitos e governadores de Estados nordestinos.

NO O ANTAGONISTA
De novo, Renan?
Brasil 25.09.16 09:00
Michel Temer e Rodrigo Maia disseram que a anistia do caixa dois seria engavetada, mas Renan Calheiros continua defendendo abertamente a proposta.
Marisa não é inocente
Brasil 25.09.16 08:49
Marisa Letícia foi às ruas de São Bernardo para pedir votos à reeleição do filho Marcos, que ninguém sabe exatamente o que fez como vereador. Lula tem bancado a campanha.
Um Congresso de barnabés
Brasil 25.09.16 08:45
A Folha fez um levantamento da estrutura de comunicação da Câmara e do Senado. São 1.212 funcionários, entre jornalistas, produtores, editores, cinegrafistas, fotógrafos, auxiliares, técnicos de TV e rádio etc.
O custo supera os R$ 103 milhões, "excluídos os gastos com a folha de concursados e comissionados", cujos salários variam de R$ 14,3 mil a R$ 27,4 mil, que consomem pelo menos o dobro disso.
Quase um duplex
Brasil 25.09.16 08:38
Lauro Jardim diz que, empilhados, os anexos das delações da Odebrecht somam até agora 4,5 metros.
"Dá o equivalente a um andar e meio de delação."
O DNA da propina
Brasil 25.09.16 07:59
Lembram que o MPF prendeu a mãe e o cunhado do deputado Hugo Motta, e ainda conduziu coercitivamente a avó do peemedebista que presidiu a CPI da Petrobras?
Pois, agora, um empresário local delatou o pai de Motta por cobrar 10% de propina em obras no município de Patos, controlado pela família. Na delação, sobrou para o próprio Hugo Motta.
A corrupção, pelo visto, está no DNA dessa gente.
O mais lido
Sociedade 25.09.16 06:31
A Folha de S. Paulo anuncia que, seis meses atrás, seu site teve 475 milhões de acessos.
O Antagonista teve 210 milhões. Sem tratar de esporte, de crime ou de telenovela.
O Antagonista é o site de política mais lido do Brasil.
A Operação Obstrução vem aí
Brasil 24.09.16 19:20
O MPF tem motivos de sobra para investigar a fundo a internação da mulher de Guido Mantega e, mais ainda, o eventual vazamento da Operação Arquivo-X.
Fecha-se aos poucos o cerco em torno de uma nova frente de investigação, sobre reiteradas tentativas de obstrução da Lava Jato, algo tão importante quanto a própria Lava Jato.
Nesse sentido, a libertação de Mantega foi providencial.