terça-feira, 1 de maio de 2018

PRIMEIRA EDIÇÃO DE 1º-5-2018

NA COLUNA DO CLÁUDIO HUMBERTO
TERÇA-FEIRA, 01 DE MAIO DE 2018
A Justiça Eleitoral não age para que a vítima de estupro ou outra violência sexual que esteja hospitalizada no dia da eleição, mas garante urna eleitoral na prisão para que seu estuprador não deixe de exercer o direito ao voto. Quem chama a atenção para esse absurdo é o desembargador Fábio Prieto, do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, que propõe uma Resolução para corrigir esse desequilíbrio.

O Estado não tem qualquer condescendência com a vítima de estupro hospitalizada: se não votar, está sujeita à penalidades previstas em lei.

O artigo 136 do Código Eleitoral prevê instalação de seções eleitorais em “vilas, povoados e estabelecimentos de internação coletiva”.

O TRE do Ceará indagou ao Tribunal Superior Eleitoral em 1999 se urnas devem ser disponibilizadas em prisões. O TSE autorizou.

A suspensão dos direitos políticos, inclusive ao voto, só acontece após o trânsito em julgado de uma ação. Presos provisórios podem votar.

Os militares e seus apoiadores divulgam um levantamento indicando que em 23 dos 27 Estados brasileiros há militares da reserva que serão candidatos em outubro, à exceção do Amapá, Bahia, Mato Grosso do Sul e Rondônia. No total, são 52 candidatos aos mais diversos cargos. Nas redes sociais, há um misto de admiração e temor. Bobagem. Têm o direito de disputar o poder pelo voto. Só não têm direito a golpe.

São candidatos a governador: Coronel Ulisses (AC), general Paulo Chagas (DF), coronel Monteiro (MA) e coronel Eliéser M. Filho (RN).

Ao contrário do capitão Jair Bolsonaro, bem situado para presidente, os militares candidatos a cargos majoritários estão mal nas pesquisas.

A lista de candidatos militares em todo o Brasil foi organizada pelo general da reserva Roberto Peternelli para o jornal O Povo.

Alunos que invadiram a reitoria da Universidade de Brasília acabaram o protesto sem mostrar a cara, em tempos de democracia. E cobriram de vergonha os pais e avós, que deram a cara contra a ditadura.

Acabou ontem, dia 30, o prazo para os partidos prestarem contas dos R$800 milhões do fundo partidário de 2017. Sem estresse: somente na semana passada foram punidos por irregularidades datadas de... 2012.

A MP 811/2017 deve ser votada esta semana e permite que a parte da União na exploração do Pré-sal seja comercializada diretamente. Isso quer dizer que finalmente a União poderá receber o valor em dinheiro equivalente à quantidade de petróleo que lhe cabe na partilha.

O senador Álvaro Dias (Pode-PR) gravou nesta segunda-feira (30), véspera de feriado, um vídeo na Praça dos Três Poderes, em Brasília, com direito a imagens com drones. Não foi perturbado ou interrompido.

O pré-candidato tucano a presidente, Geraldo Alckmin, resolveu se mexer. Após muita insistência de empresários locais, vai a São Luís encontrá-los. Passará menos de vinte horas no Maranhão.

O que o carro oficial de senador, placas 29, fazia sábado, por volta do meio-dia, na comercial da 106 Sul, em Brasília, na porta da loja “Biscoitos mineiros”? Não era para checar a crise do pão de queijo.

Por sua assessoria, o deputado Rubens Pereira Jr. (PCdoB-MA) diz que são “lícitos” os pagamentos de R$614 mil da verba de divulgação a um jornal de poesias de Ceilândia (DF), a 2 mil km do seu Estado.

Apesar da privatização da Eletrobras, o governo brasileiro pretende vender apenas parte do capital da empresa estatal: o Brasil deve manter entre 40% e 49% das ações, que serão muito valorizadas.

...hoje é o Dia do Trabalho, mas bem que poderia ser o Dia do Emprego, ainda em falta para mais de 13 milhões de brasileiros.

NO DIÁRIO DO PODER
NOVA DENÚNCIA
RAQUEL DODGE DENUNCIA AO STF LULA, PALOCCI E GLEISI POR CORRUPÇÃO
RECEBERAM PROPINA DA ODEBRECHT EM TROCA DE FAVORES, DIZ A PGR
Publicado segunda feira, 30 de abril de 2018 às 20:16 - Atualizado às 21:00
Da Redação
A Procuradoria-Geral da República denunciou hoje (30) ao Supremo Tribunal Federal (STF) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro Antônio Palocci, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o ex-ministro Paulo Bernardo, marido da parlamentar.
Todos são acusados dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, a partir de delações premiadas de ex-executivos da empreiteira Odebrecht. Segundo a denúncia, a Odebrecht prometeu a Lula doação de US$ 40 milhões, o equivalente a R$ 64 milhões, em troca de decisões políticas para beneficiar a empresa.
De acordo com a PGR, além dos depoimentos de delação, foram colhidos nas investigações documentos, como planilhas e mensagens, fruto da quebra de sigilo telefônico.
Em contrapartida pela doação, a Procuradoria afirma que a Odebrecht foi beneficiada com aumento da linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com Angola, país africano onde a empreiteira tinha negócios.

AQUI NÃO, PELEGADA
JUÍZA NEGA EXCURSÃO DE SINDICALISTAS A LULA: 'SÃO INCABÍVEIS'
JUSTIÇA FRUSTRA ROMARIA DE PELEGOS E POLÍTICOS OPORTUNISTAS
Publicado segunda-feira, 30 de abril de 2018 às 20:10
Da Redação
A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, negou nesta segunda-feira (30) o pedido de representantes de centrais sindicais para visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, onde se encontra desde o dia 7 de abril.
Representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Força Sindical, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), da Intersindical, da União Geral de Trabalhadores (UGT) e da Nova Central Sindical de Trabalhadores solicitaram o encontro para esta quarta-feira (2).
A magistrada argumentou que o pedido não deveria sequer ser analisado, uma vez que caberia aos interessados ter feito o pleito junto à Polícia Federal. Ainda que fosse reconhecido o pedido, seria negado por serem “incabíveis as visitas pleiteadas”.
Visitas
A juíza Carolina Lebbos já havia negado diversos pedidos. Dia 23, ela proibiu que a ex-presidente Dilma Rousseff e uma comissão de deputados se encontrassem com Lula. Os parlamentares tinham o objetivo de inspecionar as condições de detenção do ex-presidente.
Lebbos justificou as negativas afirmando que o tratamento dispendido a todos os presos no local é a permissão de visitas de advogados e familiares. A entrada de parentes vem sendo liberada, ocorrendo uma vez por semana.
A magistrada também indeferiu pedidos de visita do escritor Adolfo Esquivel, vencedor do prêmio Nobel da Paz, do teólogo Leonardo Boff, da presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, do pré-candidato à presidência da República, Ciro Gomes e de uma comitiva de governadores.

NO BLOG DO JOSIAS
PT já não precisa de autocrítica, mas de autópsia
Por Josias de Souza
Terça-feira, 01/05/2018 05:37
O grande problema das autocríticas é que elas sempre chegam tarde. No caso do Partido dos Trabalhadores, a demora foi tão grande que a providência tornou-se desnecessária. Ao reagir contra a mais nova denúncia da procuradora-geral Raquel Dodge, o PT deixou claro que seu caso não é mais de autoanálise, mas de autópsia.
Dodge acusou de corrupção e lavagem de dinheiro Lula, a presidente do PT Gleisi Hoffmann, os ex-ministros petistas Antonio Palocci e Paulo Bernardo, o empreiteiro Marcelo Odebrecht e um um ex-assessor de Gleisi, Leones Dall'Agnol. 
De acordo com a denúncia, a Odebrecht trocou vantagens empresariais por propinas. Coisa de US$ 40 milhões. Ou R$ 64 milhões, em moeda nacional. Parte da verba foi passada a sujo em campanhas eleitorais, entre elas a de Gleisi.
A Executiva Nacional do PT soltou uma nota. O conteúdo não é original. Um redator qualquer limitou-se a apertar o botão da perseguição política. E a resposta fluiu: “Mais uma vez a Procuradoria Geral da República, de maneira irresponsável, formaliza denúncias sem provas a partir de delações negociadas com criminosos em troca de benefícios penais e financeiros. […] Mais uma vez o Ministério Público tenta criminalizar ações de governo citando fatos sem conexão e de forma a atingir o PT e seus dirigentes.”
A nota reforça a sensação de que os petistas dividiram-se em três grupos: há os presos, os que aguardam na fila e os que se comportam à maneira do avestruz, enfiando a cabeça no silêncio. E a Executiva mantém o PT no seu labirinto: “A denúncia irresponsável da Procuradoria vem no momento em que o ex-presidente Lula, mesmo preso ilegalmente, lidera todas as pesquisas para ser eleito o próximo presidente pela vontade do povo brasileiro.”
Mais um pouco e até a autópsia será desnecessária. Bastará emitir o atestado de óbito, anotando no espaço dedicado à causa mortis: “Cinismo crônico.”

Seguro-desemprego cobrirá calote de Moçambique e Venezuela no BNDES
Por Josias de Souza
Segunda-feira, 30/04/2018 16:28
O governo decidiu remanejar R$ 1,16 bilhão do seguro-desemprego para pagar o calote dado por Venezuela e Moçambique no BNDES. Proposta enviada na última sexta-feira ao Congresso sugere a transferência desse valor para a rubrica orçamentária destinada à “cobertura das garantias prestadas pela União nas operações de seguro de crédito às exportações.” (aqui, a íntegra da proposta)
Na origem do calote estão empréstimos concedidos pelo BNDES e bancos privados a países companheiros nos governos do PT. O dinheiro bancou obras tocadas por empresas brasileiras, sobretudo a Odebrecht. Venezuela e Moçambique atrasaram ou deixarão de pagar parcelas do financiamento.
Como a União avalizou as operações, o dinheiro terá de sair do bolso do contribuinte brasileiro. No total, o beiço soma R$ 1,3 bilhão. Mas parte da verba já está disponível no fundo criado para entrar em cena quando os devedores fogem do guichê. Chama-se Fundo Garantidor à Exportação (FGE).
O governo corre contra o relógio. Precisa realizar os pagamentos até terça-feira da semana que vem. Sob pena de o Brasil se tornar, ele próprio, caloteiro perante o sistema financeiro internacional. Para deslocar verba de uma rubrica para outra, o Planalto teve de pedir autorização ao Congresso. Daí a proposta.
Temer pediu pressa aos partidos que lhe dão suporte no Legislativo. Deseja a aprovação do projeto nesta quarta-feira, em sessão conjunta do Congresso, com deputados e senadores. O feriadão criado a propósito do 1º de maio, Dia do Trabalhador, conspira contra a assiduidade dos congressistas.
Em linguagem empolada, a exposição de motivos que acompanha o projeto sustenta que não faltarão verbas para a assistência aos que brasileiros que forem enviados ao olho da rua. Eis o que escreveu o governo:
“Ressalte-se, por oportuno, que a programação objeto de cancelamento não sofrerá prejuízo na sua execução, uma vez que o remanejamento foi decidido com base em projeção de sua possibilidade de dispêndio até o final do presente exercício.”
Traduzindo para o Português do asfalto: o governo acredita que o dinheiro reservado para os desempregados era excessivo. E confia, com base nas suas projeções, que haverá até o final do ano menos desempregados do que todos imaginavam quando o Orçamento da União para 2018 foi aprovado no Congresso. Comece a rezar.
(...)

NO O ANTAGONISTA
Urgente: Prédio em chamas desaba no centro de São Paulo
Sociedade Terça-feira, 01.05.18 06:04
Um prédio de 22 andares, em chamas, desabou há pouco no Largo do Paissandu, região da República, no centro de São Paulo.
O edifício estava ocupado por integrantes do movimento dos sem-teto.
Segundo informações preliminares, o fogo começou por volta das duas da manhã, entre o segundo e o quinto andar, após um vazamento de gás. Pelo menos uma pessoa morreu.
O jornalista Alexandre Aguiar divulgou no Twitter um vídeo feito por um morador no momento exato do desabamento.

Prédio que desabou atinge igreja
Sociedade 01.05.18 06:52
Ao desabar, o prédio em chamas no centro de São Paulo atingiu parte da Igreja Evangélica Luterana.
Veja a imagem feita pela Globo:
A ideologia empurrou a pobreza para uma armadilha
Sociedade 01.05.18 07:07
Vejam abaixo a condição do prédio, ocupado irregularmente, após pegar fogo e desabar no centro de São Paulo.
A ideologia empurrou a pobreza para uma armadilha.
Temer é uma excentricidade
Brasil 01.05.18 07:13
O governo tirou 392 mil famílias do Bolsa Família em abril, antes de anunciar o aumento de 5,67% ontem, segundo o UOL.
É cada vez mais excêntrica a ideia de que Michel Temer possa eleger-se presidente ou seja um ativo eleitoral para outro candidato.

Gebran encaminha delação de Palocci ao Ministério Público
Brasil Segunda-feira, 30.04.18 21:48
O relator da Lava Jato no TRF-4, Gebran Neto, recebeu hoje o acordo de colaboração de Antonio Palocci, e o encaminhou à PRR-4.
Depois de manifestação do Ministério Público, a delação do ‘Italiano’ voltará para análise do desembargador, que decidirá sobre a homologação.
A delação não foi encaminhada a Sérgio Moro, porque Palocci tem condenação com recurso pendente no TRF-4.

PGR: LULA SABIA DA NEGOCIATA E PARTICIPOU PESSOALMENTE
Brasil 30.04.18 21:24
Na nova denúncia por corrupção e lavagem de dinheiro, a PGR diz que Lula sabia das negociações ilícitas e participou pessoalmente delas.
Segundo Raquel Dodge, o ex-presidente “teve papel preponderante” para garantir à Odebrecht a linha de US$ 1 bilhão do BNDES para Angola.
Lula atendeu a pedido do próprio Emílio Odebrecht, seu amigão.
(...)

Paulo Bernardo chamava propina de “combustível”
Brasil 30.04.18 21:09
Na nova denúncia da PGR contra Lula, Gleisi Hoffmann, Paulo Bernardo e Antonio Palocci, a equipe de Raquel Dodge anexa e-mails entregues por Marcelo Odebrecht com as tratativas sobre o pagamento da propina de US$ 40 milhões.
O delator conta que Paulo Bernardo pediu US$ 50 milhões para liberar o limite de US$ 1 bilhão em crédito à exportação de serviços da Odebrecht para Angola. Marcelo topou dar US$ 40 milhões, oferta aceita pelo maridão de Gleisi.
“Disse que, como estava tudo esclarecido, estava precisando de combustível urgente.” A definição não poderia ser melhor. O combustível do PT é propina.
(...)

PGR DESTACA PROTAGONISMO DE GLEISI EM ESQUEMA QUE RENDEU 1,5 BI PARA O PT
Brasil 30.04.18 20:41
Na nova denúncia contra Lula, Gleisi e o marido Paulo Bernardo, além de Antonio Palocci, a PGR fez questão de ressaltar que há “prova de materialidade e indícios suficientes” de que o PT embolsou pelo menos R$ 1,48 bilhão em propinas.
Os quatro citados, entre outros, “concertaram ações criminosas para a arrecadação de valores ilícitos por meio da lesão ao patrimônio e à moral administrativa de diversos entes e órgãos públicos, tais como Petrobras, BNDES e Ministério do Planejamento”.
Segundo Raquel Dodge, Gleisi e o maridão “assumiram protagonismo” no esquema criminoso e a petista “foi uma das mais beneficiadas” dos desvios na Petrobras, no BNDES e nas parcerias com a Odebrecht e a J&F.
Faz sentido todo o empenho da petista para livrar Lula.

O núcleo político do esquema
Brasil 30.04.18 20:24
Ao especificar a participação de cada um dos cinco denunciados, a PGR enfatizou que o caso reproduz o modelo de outros apurados na Lava Jato, com a existência de quatro núcleos específicos.
O núcleo político formado por Lula, Gleisi Hoffmann, Paulo Bernardo e Antônio Palocci; o econômico, comandado por Marcelo Odebrecht; o administrativo, por Leones Dall’Agnol; e o financeiro, movimentado por doleiros responsáveis pela coleta e distribuição do dinheiro.
Os integrantes do núcleo político já foram, conforme mencionado na atual peça de acusação, denunciados por organização criminosa por envolvimento no esquema articulado pela Construtora Odebrecht.

PGR: GLEISI USOU LARANJAS PARA DISSIMULAR PROPINA
Brasil 30.04.18 20:19
Na denúncia apresentada agora há pouco ao STF, Raquel Dodge detalha como parte do dinheiro repassado pela Odebrecht foi parar no Caixa 2 da campanha de Gleisi Hoffmann, a musa do acampamento de Curitiba.
Com base em provas obtidas no inquérito, a PGR mostra como Gleisi e o maridão Paulo Bernardo ajustaram o recebimento da grana, por meio de Benedicto Júnior, da Odebrecht, e Leones Dall’Agnol, chefe de gabinete da petista.
“Dos cinco milhões, Gleisi Helena Hoffmann, Paulo Bernardo e Leones Dall’Agnol comprovadamente receberam, em parte por interpostas pessoas, pelo menos três milhões de reais em pagamentos de quinhentos mil reais cada, a título de vantagem indevida, entre outubro e novembro de 2014.”
Para disfarçar, Gleisi declarou à Justiça Eleitoral despesas inexistentes de R$ 1,8 milhão. Os pagamentos, segundo a PGR, foram feitos a empresas que serviram de laranjas para escoar os recursos e dissimular sua origem.

Paulo Coelho, o mago: “Lula jogou o Dirceu aos cães”
Brasil 30.04.18 18:35
Em entrevista à Folha, o mago Paulo Coelho disse que Lula tentou se justificar com ele, durante um jantar oferecido pela rainha da Inglaterra, pela falta de apoio a José Dirceu logo depois do Mensalão…
“Estava fumando com uma amiga minha da realeza, chega um assessor do Lula e diz: ‘O presidente quer falar com você’. Vamos lá. Atravessamos aquele palácio, uma cena inesquecível. Vou aos aposentos do Lula, pensando: ‘Porra, por que o Lula me chamou?’. No meio da conversa, ficou claro que ele estava se justificando para mim, por eu ter apoiado o José Dirceu, e ele não.”
E ainda:
“Ele jogou o José Dirceu como boi de piranha. Viu que eu apoiei o Zé Dirceu, que eu nem conhecia — vi esse cara sofrendo. Era um ano que quem queria ir lá para casa era o Hugo Chávez! [risos] E o Lula se justificou, o que eu acho uma declaração muito esquisita. Ele pode até negar, mas dona Marisa estava junto. Ele jogou o Dirceu aos cães.”
Lula já pode dizer que está preso porque mexeu com o amigo do mago Paulo Coelho.



  •  
  •  
  •  

Nenhum comentário:

Postar um comentário