quinta-feira, 29 de março de 2018

SEGUNDA EDIÇÃO DE 29-3-2018 DO 'DA MÍDIA SEM MORDAÇA'

NA COLUNA DO WILLIAM WAACK
Morrer na praia
O sinal que mais se levanta hoje no Brasil é o sinal de interrogação. Para onde vai?
Por William Waack, O Estado de S.Paulo
Quinta-feira, 29 Março 2018 | 03h00
Não tem nada mais difícil para quem está envolvido com o noticiário do dia a dia político do que entender o rumo de mudanças à medida que elas ocorrem. Já passei por isso, entre outras ocasiões, cobrindo a queda do Muro de Berlim, em 1989. Quarenta dias antes do evento eu estava lá, na Alemanha Oriental, reportando sobre as manifestações e fugas em massa do regime comunista. E não imaginava que faltava só pouco mais de um mês para aquele mundo todo acabar de vez. Foi só depois do muro derrubado que tudo aquilo que já era visível ficou tão claro, tão óbvio, como o caminho que levava a uma revolução.
Crises graves, e o Brasil vive uma, têm características em comum: a velocidade dos acontecimentos é uma delas (no nosso caso, a rapidez com que fomos de escândalo em escândalo, de delação em delação e, agora, de decepção em decepção). Outro aspecto em comum é a desorientação de elites pensantes (políticas, econômicas ou ambas) – para não falar de vastas parcelas da população – que passam a sofrer de perda de capacidade de “leitura” da realidade, ou seja, de antecipar fatos e suas consequências (bastante evidente nos dirigentes do PT antes do impeachment).
Mas a mais grave característica em comum a grandes crises é a deterioração daquilo que numa sociedade até certo ponto se aceitava, bem ou mal, como algum tipo de autoridade – sobretudo a moral. Avança um fenômeno de percepção negativa, e de perda de confiança, que chegou também a órgãos da Lava Jato, a conglomerados econômicos, à imprensa (especialmente os mais poderosos), a instituições religiosas e, recentemente, de maneira espetacular, ao Supremo Tribunal Federal. O sinal que mais se levanta hoje no Brasil é o sinal de interrogação. Para onde vai?
No Brasil é palpável, embora bastante subjetivo, o generalizado desejo de mudança, a indignação com a corrupção, o clamor por algo diferente – e eu me arrisco a dizer, a vontade também de enxergar alguma ordem (no sentido de direção e estabilidade). Sou obrigado a reconhecer, porém, que nossa História recente exige uma tremenda dose de paciência de todos os que ardem por mudanças. Pois temos o costume (cada um julgue se é positivo ou negativo) da “acomodação”.

NO BLOG DO FAUSTO MACEDO
PF prende José Yunes 
A ordem de prisão temporária - cinco dias - contra o amigo do presidente Michel Temer (MDB) é do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal 
Por Fausto Macedo
Quinta-feira, 29 Março 2018 | 07h30
A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira, 29, o empresário e advogado José Yunes. A ordem de prisão temporária – cinco dias – é do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal.
José Yunes é amigo do presidente Michel Temer (MDB) há mais de 50 anos.
A Polícia Federal informou que, por determinação do STF, ‘não se manifestará a respeito das diligências realizadas na presente data’.
COM A PALAVRA, A DEFESA
“É inaceitável a prisão de um advogado com mais de 50 anos de advocacia, que sempre que intimado ou mesmo espontaneamente compareceu à todos os atos para colaborar.
Essa prisão ilegal é uma violência contra José Yunes e contra a cidadania.
José Luis Oliveira Lima”

NA COLUNA DO ESTADÃO
PF cumpre mandado contra coronel Lima, amigo de Temer
Por Andreza Matais
Quinta-feira, 29 Março 2018 | 08h46
A PF está na casa do coronel aposentado João Baptista Lima Filho, outro amigo do presidente Temer. Ele também é alvo do inquérito dos portos. Há mandado de prisão temporária contra ele.
Outro preso foi José Yunes, também amigo de Temer.

NO O ANTAGONISTA
Gilmar Mendes manda “enfiar pergunta na bunda”
Brasil Quinta-feira, 29.03.18 09:25
A Folha de S. Paulo perguntou a Gilmar Mendes quem pagou sua passagem aérea para Portugal.
Ele respondeu:
“Devolva essa pergunta a seu editor, manda ele enfiar isso na bunda. Isso é molecagem, esse tipo de pergunta é desrespeito, é desrespeito.”

Reunião de emergência
Brasil 29.03.18 09:03
Michel Temer convocou uma reunião de emergência.
Eliseu Padilha já está com ele.

O que a oposição espera
Brasil 29.03.18 09:18
Em Brasília, políticos da oposição dizem que, após as prisões de hoje, aguardam uma terceira denúncia da PGR contra o presidente Michel Temer.

Mostra os extratos aí, despreocupado Temer
Brasil 29.03.18 09:10
Em 5 de março deste ano, Michel Temer confirmou sua quebra de sigilo bancário, ordenada por Luís Roberto Barroso no caso do Decreto dos Portos, e divulgou a seguinte nota:
“O presidente Michel Temer solicitará ao Banco Central os extratos de suas contas bancárias referentes ao período mencionado hoje no despacho do eminente ministro Luís Roberto Barroso. E dará à imprensa total acesso a esses documentos. O presidente não tem nenhuma preocupação com as informações constantes de suas contas bancárias.”
Mostra aí, despreocupado.

PGR pediu as prisões
Brasil 29.03.18 08:56
Raquel Dodge pediu as prisões dos operadores de Michel Temer.
É assim que funciona uma democracia.

Grupo Libra é alvo da Skala
Brasil 29.03.18 08:53
A PF também esteve nesta manhã em um endereço, no Leblon, da família Torrealba, dona do Grupo Libra, um dos maiores grupos de logística portuária brasileira.

Barroso avisou que prenderia Segóvia
Brasil 29.03.18 08:51
Fernando Segóvia foi saído rapidamente da direção da Polícia Federal porque Luís Roberto Barroso disse a Raul Jungmann que iria mandar prender o delegado por obstrução à Justiça no caso do Decreto dos Portos.
Segóvia foi colocado lá para tentar parar tudo.

Braço-direito de Wagner Rossi também é preso
Brasil 29.03.18 08:50
Sobe para cinco o número de presos na Operação Skala: está indo para a cadeia o ex-secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Milton Ortolan, braço-direito de Wagner Rossi, também preso.

A saúde do coronel Lima
Brasil 29.03.18 08:45
O coronel João Batista Lima Filho sempre alegou problemas de saúde para, digamos assim, não contribuir com as investigações em torno do Decreto de Portos.

Barroso mostra que STF vagaroso é balela
Brasil 29.03.18 08:30
Com o andamento rápido do processo sobre o Decreto dos Portos, de Michel Temer, Luís Roberto Barroso demonstra que, quando um ministro do STF quer, as ações que envolvem poderosos andam rápido no Tribunal.
A conversa da “falta de estrutura” do STF para dar seguimento a processos criminais é balela para garantir a impunidade.
Barroso, goste-se ou não da sua atuação como advogado no passado, está sendo implacável com corruptos de todos os partidos — o PT, inclusive, que o nomeou ministro do STF.

DONO DA RODRIMAR É PRESO
Brasil 29.03.18 08:01
O dono da Rodrimar, Antônio Celso Grecco, suspeito de ter repassado propina a Michel Temer, também foi preso pela PF.
Diz o G1:
“Desde o início da manhã, seis equipes da Polícia Federal procuravam pelo empresário nos endereços que ele mantém em Santos. Alvos também de mandados de busca e apreensão, foram apreendidos documentos no apartamento dele, em um prédio frente à praia do Gonzaga, e na empresa portuária, na região do Centro da cidade.”

Quem pagou a conta?
Brasil 29.03.18 07:35
“Fora da agenda, Temer janta com Yunes”.
A nota foi publicada ontem, em O Globo, e trata de um jantar ocorrido na segunda-feira, 26, presumivelmente para acertar os ponteiros.
Hoje, a PF prendeu José Yunes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário