DICIONÁRIO AULETE

iDcionário Aulete

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

PRIMEIRA EDIÇÃO DE 12-01-2017 DO "DA MÍDIA SEM MORDAÇA"

NA COLUNA DO CLÁUDIO HUMBERTO
QUINTA-FEIRA, 12 DE JANEIRO DE 2017
O Presidente Michel Temer terá a oportunidade de varrer ainda este ano os petistas que ainda ocupam cargos de confiança, com evidências de que sabotam o Governo. Além de cargos de livre provimento, o Presidente poderá trocar 15 diretores de nove das dez agências reguladoras. Só não haverá mudança na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), cuja extinção tem sido reivindicada pela sociedade.
O petista Rodrigo Assumpção está há anos na Presidência da Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social).
A atual Presidente do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), Glória Guimarães, é ligada ao ex-Ministro Paulo Bernardo.
Petistas ocupam até cargos estratégicos, como Regina Filomena, que pulou do Ministério da Justiça para uma gerência da Petrobras.
Além de mudar 15 diretores, Michel Temer poderá preencher uma vaga na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Dados da Policia Civil mostram que nos primeiros dez dias do ano exatas 19 pessoas foram assassinadas em Brasília. Quase duas mortes por dia. Isso sem contar as 29 tentativas de assassinato e cinco de latrocínio. Talvez o fato de não haver presidiários entre as vítimas explique o silêncio da hipocrisia nacional, que ainda chora a morte de assassinos, estupradores e traficantes em Manaus e Boa Vista.
Neste Brasil bandido, há um Estatuto Penitenciário, criado na Câmara, fixando 25 de junho como o Dia do Encarcerado. Já o Dia da Vítima...
Projeto do petista Domingos Dutra (MA) obrigava nos presídios creme hidratante, shampoo, condicionador de cabelo, chuveiro quente etc.
A produção brasileira de grãos vai chegar a 215 milhões de toneladas. Cerca de 15,3% a mais que a safra anterior. É o que alimenta o Brasil. E ainda tem escola de samba do Rio falando mal do agronegócio, único setor da economia que só produz boas notícias.
É tão simples quanto somar e dividir: para sair do buraco, o Governo do Rio de Janeiro precisa reduzir substancialmente o custo da folha de pessoal, que consome 90% de todas as receitas líquidas do Estado.
Pesquisa encomendada pelo Planalto revela o crescimento da confiança: 15 dos maiores bancos avaliam que o Governo sobreviverá à operação Lava a Jato e que Michel Temer concluirá o mandato.
Dilma Rousseff legou ao Brasil uma taxa básica de juros em 14,25% ao ano. Na campanha, ela acusou adversários de praticarem juros altos. Ontem, o Governo Temer baixou a taxa para 13% ao ano.
O ex-Presidente Lula anda preocupado com a calmaria da Operação Lava a Jato, que não realiza nova fase desde dezembro. Ele prevê tempestade: teme a cadeia em novas operações da Polícia Federal.
O setor de reclamações no aeroporto Dulles, Washington, tem recebido pedidos de brasileiros para retirar o vídeo que os saúda em português. Tudo pelo nome do pobre rapaz que se apresenta no vídeo assim: “Eu sou o Renan, que lhe dá as boas-vindas à capital dos Estados Unidos”.
O Planalto tem pressa na instalação da comissão especial da Câmara que discutirá a reforma da Previdência. “A ideia é instalá-la ainda no dia 2”, garante o líder do Governo, André Moura (PSC-SE).
O Governador potiguar, Robinson Farias determinou ao filho, Deputado Fábio Farias (PSD-RN), que vote em Rodrigo Maia para Presidente da Câmara, contra o candidato do seu partido Rogério Rosso (DF).
...réu em cinco processos e alvo das operações Lava a Jato, Zelotes e Janus, Lula continua ameaçando disputar eleição, mas sabe que em 2018 estará preso ou inelegível.

NO DIÁRIO DO PODER
PEDIDO AO STF
POLÍCIA FEDERAL PEDE PRORROGAÇÃO DE INQUÉRITO QUE INVESTIGA DILMA E LULA
O TRIO É ACUSADO DO CRIME DE OBSTRUÇÃO À JUSTIÇA NA LAVA  A JATO
Publicado: quarta-feira, 11 de janeiro de 2017 às 17:02 - Atualizado às 00:49
Redação
A Polícia Federal (PF) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prorrogação do prazo do inquérito que investiga a ex-Presidenta Dilma Rousseff e o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva por obstrução das investigações da Operação Lava a Jato.
No mesmo processo, são investigados os ex-Ministros José Eduardo Cardozo e Aloizio Mercadante; o ex-Presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Francisco Falcão; o Ministro do STJ Marcelo Navarro Ribeiro Dantas e o ex-Senador Delcídio do Amaral.
A investigação foi aberta pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, em agosto do ano passado, após pedido do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.
O pedido do Procurador foi baseado na delação premiada feita pelo então Senador Delcídio do Amaral. Em uma das oitivas, o Senador acusou a Presidenta afastada Dilma Rousseff e o ex-Presidente Lula de terem interesse em nomear, no ano passado, o Ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, com o objetivo de barrar as investigações da Operação Lava a Jato e libertar empreiteiros presos.
Segundo Delcídio, a suposta tentativa contou com o apoio de José Eduardo Cardozo, que à época ocupava o cargo de Ministro da Justiça, responsável por indicar informalmente à Presidência da República nomes de possíveis candidatos, e do ex-Ministro Aloizio Mercadante.
Desde a abertura das investigações, a ex-Presidenta Dilma afirma que a abertura do inquérito é importante para elucidar os fatos e esclarecer que em nenhum momento houve obstrução da Justiça. A defesa de Lula sustenta que o ex-Presidente jamais interferiu nas investigações da Lava a Jato. Mercadante também nega que tenha obstruído as investigações.(ABr)

PARA FIANÇA DE R$ 1 MILHÃO
SUBSTITUTA DE MORO MANDA EX-TESOUREIRO DO PT PROVAR QUE NÃO TEM RECURSOS
JUÍZA QUER PROVA DE QUE EX-TESOUREIRO DO PT NÃO PODE PAGAR FIANÇA
Publicado: quarta-feira, 11 de janeiro de 2017 às 13:46 - Atualizado às 15:26
Redação
A luta do ex-Tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, para deixar a prisão da Operação a Lava Jato ganhou um novo capítulo. A Juíza Federal, Gabriela Hardt, substituta de Sérgio Moro, na 13ª Vara Federal de Curitiba, mandou na segunda-feira, 9, a defesa do petista ‘comprovar a ausência de recursos hábeis’ para pagar fiança de R$1 milhão – imposta por Moro para tirar o petista da cadeia.
O valor foi estipulado pelo Magistrado em 16 de dezembro de 2016. Desde então, a defesa entrou com pedidos de reconsideração para que a Justiça aliviasse o pagamento de R$ 1 milhão, alegando que Ferreira está ‘desempregado e com dívidas’.
A Juíza havia pedido que os defensores do ex-Tesoureiro indicassem um imóvel para cobrir o valor da fiança. Os advogados informaram que o petista não tinha um imóvel para dar como garantia. Em 29 de dezembro, a defesa reclamou da situação de Paulo Ferreira.
Nesta segunda, 9, a Magistrada afirmou que, ‘entre os dias 20 de dezembro de 2016 a 6 de janeiro de 2017, a Justiça Federal do Paraná funcionou sob regime de plantão durante o qual esta Magistrada não estava designada para atuar’.
“Caberia, portanto, ao próprio advogado submeter a questão de pronto ao Juízo plantonista caso pretendesse a análise imediata do pleito formulado”, anotou Gabriela Hardt.
“Em que pese o tempo decorrido desde a fixação da fiança, o fato é que cabe à defesa comprovar a ausência de recursos hábeis a garanti-la.”
Gabriela afirmou ainda que ‘a fiança é imprescindível para garantir a presença do acusado no processo e na execução da pena no caso de condenação, devendo somente ser dispensada quando a situação econômica do preso for comprovadamente precária, o que não é o caso’.
“A verdade é que a real situação econômica do acusado ainda não foi totalmente esclarecida”, anotou a Magistrada.
Gabriela Hardt apontou para uma aquisição de carta de crédito de consórcio no valor de R$ 100 mil em 23 de janeiro de 2007. Segundo a Magistrada, foram pagos R$ 123.905,15 até 31 de dezembro de 2014, ‘restando, em 31 de dezembro de 2015, 13 parcelas a serem pagas’.
“Não há informações a respeito de eventual contemplação do acusado no consórcio. Duas são as hipóteses possíveis, em tese. Não houve ainda contemplação e o valor existente pode ser penhorado para garantir a fiança imposta. Ou houve contemplação e o valor da carta de crédito foi utilizado possivelmente para aquisição ou reforma de um imóvel”, observou.

ROBALO NÃO CAI BEM
CARDÁPIO COM LAGOSTA CUSTOU R$ 73 MIL À ASSEMBLEIA DE ALAGOAS
MESA VAI MUDAR CARDÁPIO DO QUAL DISPÔS POR UM ANO EM ALAGOAS
Publicado: quarta-feira,11 de janeiro de 2017 às 21:56 - Atualizado às 01:36
Davi Soares
Em 27 de dezembro de 2016, mesmo dia em que reajustou em 26,3% os salários dos deputados, a Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas (ALE) realizou pregão para garantir a contratação de bufê com cardápio que passa longe da mesa dos alagoanos. A licitação garantiria lagosta, camarões, carnes nobres e iguarias requintadas aos deputados e seus convidados. A repercussão nacional do deboche em tempos de crise fez o Legislativo cancelar o processo, nesta quarta-feira (11). Mas só depois de um ano com o luxo à disposição.
Como se houvesse espaço para mais desdém além de dispor do sugestivo “robalo com bananas douradas” sempre à mesa, a Mesa Diretora comandada pelo Deputado Luiz Dantas (PMDB) decidiu fingir simplicidade, ao suspender o pregão e mandar refazer o processo com novo cardápio, “sem ostentação e de forma singela, compatível com o que vem sendo praticado”. Mas a verdade é que o cardápio previsto é idêntico ao mesmo praticado durante o último ano, em contrato que consumiu mais de R$ 73 mil em 12 meses.
Em setembro de 2015, o Pregão para Registro de Preços nº 16 foi homologado com cardápio exatamente igual e com mesmo objeto de contratação. Com previsão para adquirir os itens de bufê até o limite de R$319 mil durante um ano, o contrato foi assinado entre a Assembleia e a empresa Buffet Garry Kasparov LTDA – EPP.
Durante o ano de vigência do contrato, de setembro de 2015 a agosto de 2016, foram gastos R$ 73.406,00 com o variado e requintado cardápio ofertado pela empresa licitada. Mais de um terço da despesa, R$ 26,5 mil foi paga somente no carnavalesco mês de fevereiro de 2016, quando não houve evento algum que justificasse tamanho gasto.
Conforme o nada confiável portal da transparência do Legislativo (que não expõe dados mensais da folha de servidores), os gastos com o bufê licitado ocorreu no seguinte cronograma:
Outubro/2015: R$ 5.250; dezembro/2015: R$ 8.400; fevereiro/2016: R$ 26.580; maio/2016: R$ 8.616; junho/2016: R$ 6.080; julho/2016: R$ 9.800; e agosto/2016: R$ 8.680.
O novo edital ampliaria a estimativa de demanda de participantes da boca livre de 1 mil pessoas para 12.200 pessoas a serem servidas, durante um ano. Se a ata crescesse à mesma proporção, o contrato poderia chegar ao limite de gasto de R$ 3,8 milhões em um ano.
E se mantida a proporção da despesa efetivamente feita no contrato anterior, a perspectiva de gasto saltaria para R$ 932 mil.
“Esse serviço não foi homologado e muito menos contratado. Daí a determinação de refazê-lo, excluindo da lista os itens considerados supérfluos e que jamais foram requisitados pela atual gestão, em eventuais solenidades públicas. A Casa nunca requisitou esses itens destacados pela imprensa nacional. Por isso, o contrato não prosperou e a adesão ocorrerá nos limites do que vem sendo praticado, de maneira austera”, explicou, por meio de sua assessoria, o Deputado Isnaldo Bulhões (PMDB), Primeiro Secretário da Mesa Diretora.
Questionado pelo Diário do Poder sobre o fato de já ter sido gasto dinheiro público com o mesmo cardápio no ano anterior, o Deputado leu e não respondeu à mensagem enviada pelo aplicativo WhatsApp.
O CARDÁPIO
Veja uma mostra do variado cardápio que serviu de opção nos eventos da Assembleia Legislativa de Alagoas:
- Salmão ou Robalo com cogumelo.
- Salmão ao molho de maracujá e alcaparras.
- Bacalhau a portuguesa
- Bacalhau a Gomes e Sá
- Lagosta ao molho de queijo
- Lagosta com purê de abóbora
- Filé de Robalo com espinafre/com bananas douradas no azeite e molho especial
- Comida japonesa
- Paella de frutos do mar com açafrão
- Coquetel de camarão com uvas
- Caldeirada
- Arroz de Polvo
- Pituzada
- Casquinha de Siri
- Filé mignon à soberana (grelhado, molho com cogumelo, batatas noisets e abacaxi caramelado)
- Medalhão ao molho de queijo camembert.
- Filé com champignon
- Filé mignon ao molho de funghi porcini.
- Carré
- Carneiro
- Cordeiro
- Picanha na chapa
- Comida Japonesa.
- Lombo com molho agridoce.

VINGANÇA
Quinta-feira, 12-01-2017
Líder do PTB na Assembleia Legislativa de São Paulo há dez anos, Campos Machado fazia marcação cerrada a parlamentares ligados ao MST. Um dia, um Deputado do PT ligado aos sem-terras resolveu ir à forra:
- O pessoal vai invadir a sua fazenda, lá em Lins...
- Como vocês sabem que tenho fazenda em Lins?
- Temos as nossas informações... – respondeu o petista, sorrindo.
- Então invadam! – desafiou o líder do PTB.
O petista apenas confirmava que a propriedade era dele. No dia seguinte, o MST invadiu e vandalizou a tal fazenda em Lins, destruindo tudo. Machado se divertiu muito: sua fazenda era outra, no Vale do Ribeira.

NO BLOG DO JOSIAS DE SOUZA
Tucano Azeredo teve bens bloqueados em MG
Josias de Souza
Quinta-feira, 12/01/2017 04:07
Eduardo Azeredo, ex-Governador mineiro e ex-Presidente nacional do PSDB, teve seus bens bloqueados numa ação em que responde por improbidade administrativa. O processo está relacionado ao escândalo batizado de "mensalão mineiro". Deve-se o bloqueio ao Desembargador Jair Varão, da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. O objetivo é assegurar, ao final do processo, a eventual devolução de R$ 3 milhões desviados de estatais mineiras para as agências de publicidade que tinham Marcos Valério como sócio. A cifra está sujeita a atualizações monetárias.
A ação cível que tem Azeredo como protagonista foi proposta em 2003, no Supremo Tribunal Federal. Nessa época, Azeredo estava no Congresso Nacional. Dispunha da chamada prerrogativa de foro. Depois da condenação dos mensaleiros do PT, renunciou ao mandato de deputado federal, para fugir do julgamento. E o Supremo devolveu às instâncias inferiores do Judiciário a prerrogativa de julgar os processos sobre o mensalão tucano — um esquema de arrecadação ilegal de fundos para a frustrada campanha à reeleição de Azeredo ao Governo mineiro, em 1998.
Com seu despacho, o Desembargador Jair Varão reformulou decisão tomada na primeira instância, que livrara Azeredo do bloqueio. Em 26 de agosto do ano passado, o Juiz Adriano de Mesquita Carneiro, da 5ª Vara de Fazenda Pública e Autarquias de Minas Gerais, determinara o bloqueio dos bens de outros réus. Entre eles o ex-operador de fundos clandestinos, Marcos Valério, preso após ser condenado no mensalão petista, e o ex-Senador e ex-Vice-Governador de Minas, Clésio Andrade (PMDB). Nada de Azeredo.
Inconformado com a exclusão dos bens do grão-tucano, o Ministério Público recorreu. E o Desembargador reformou a decisão, lançando os bens do tucano no balaio do ressarcimento. O despacho está datado de 23 de novembro de 2016. Mas só agora veio à luz. Não está claro, por ora, quanto terá de ser ressarcido por Azeredo em caso de condenação. A defesa do tucano espera reverter a decisão do magistrado do TJ mineiro.

Justiça bloqueia bens do ministro Blairo Maggi
Josias de Souza
Quinta-feira, 12/01/2017 02:41
O Juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, acatou nesta quarta-feira (11) denúncia por improbidade administrativa feita pelo Ministério Público de Mato Grosso contra o Ministro Blairo Maggi (Agricultura) e outras oito pessoas. No mesmo despacho, o Magistrado deferiu pedido de liminar da Promotoria bloqueando os bens dos réus, inclusive os de Maggi, até o limite de R$ 4 milhões.
A notícia foi veiculada pela repórter Camila Ribeiro, do site Midia News. De acordo com os promotores, o dinheiro foi desviado dos cofres do Governo de Mato Grosso na época em que o Governador era Blairo Maggi (PR-MT), hoje Senador licenciado e Ministro do Governo Michel Temer. Lavada por meio de uma empresa de factoring, a cifra serviu para comprar uma cadeira de Conselheiro no Tribunal de Contas do Estado.
Dono da poltrona vitalícia, o então Conselheiro Alencar Soares Filho vendeu-a por R$ 12 milhões, acusam os promotores. Desse total, comprovou-se o pagamento de R$ 4 milhões. Em troca, Alencar Filho antecipou sua aposentadoria para ceder a vaga no Tribunal de Contas ao ex-Deputado Estadual Sérgio Ricardo, cujo afastamento também foi determinado pelo juiz Luís Aparecido na decisão desta quarta-feira.
A denúncia acatada pelo magistrado chama a transação de “negociata”. Afirma que a coisa foi costurada “na surdina”. E sustenta que o então Governador Blairo Maggi “presenciou, tinha conhecimento e aderiu” à trama. A improbidade foi esquadrinhada numa operação batizada de Ararath.
A investigação deslanchou a partir de um acordo de delação premiada firmado com o empresário Gercio Marcelino Mendonça Júnior. Trata-se do dono da firma de factoring que providenciou a lavagem do dinheiro supostamente desviado do erário de Mato Grosso. A ação acatada pelo juiz havia sido proposta pelo Ministério Público em 2014.
Além do Ministro Blairo Maggi, do ex-Conselheiro Alencar Soares Filho, do Conselheiro Sérgio Ricardo e do empresário Gercio Júnior, foram ao banco dos réus e tiveram bens bloqueados: o ex-Governador Silval Barbosa (PMDB), preso desde 2015; o ex-Conselheiro do Tribunal de Contas e ex-Deputado Estadual Humberto Bosaipo; o ex-Presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, José Geraldo Riva; o filho do dono da empresa de factoring, Leandro Valoes Soares e o ex-Secretário de Estado da Fazenda, Eder Moraes.
Em nota divulgada na noite passada, Blairo Maggi declarou-se “surpreso” com a decisão do Juiz de Cuiabá. Disse que a mesma operação policial havia resultado num pedido de abertura de ação penal que foi arquivado pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, em 26 de abril de 2016.
''Entendeu o Procurador-Geral ‘que não haviam nos autos indícios suficientes de crimes praticados pelo Senador Blairo Maggi, nem vislumbra o Parquet outras diligências úteis à formação da justa causa necessária para oferecimento de denúncia no presente caso’, anotou o Ministro. ''Por isso, me surpreendeu a decisão, ainda que provisória, do Juiz da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular, de receber a denúncia contra mim…” Maggi disse que recorrerá contra a decisão.
(...)

Lula pode virar 1ª piada a reivindicar o Planalto
Josias de Souza
Quarta-feira,11/01/2017 20:23
Lula é um político esperto. A esperteza jorra dos seus lábios como água de um chafariz. Réu em cinco inquéritos, Lula enfrenta dificuldades para se livrar das acusações que sofre — de corrupção a tráfico de influência. Num instante em que muitos esperavam ouvir dele explicações, Lula esguicha no noticiário sua candidatura presidencial. “Se for necessário, eu serei candidato”, disse Lula hoje, em Salvador, discursando para uma plateia companheira do MST.
A candidatura extemporânea só é necessária para o próprio Lula e para o PT. Sob o risco real de ser condenado judicialmente, Lula usa o plano presidencial como pretexto para manter a pose de perseguido político. Quanto ao PT, depois de perder o recato, o discurso e o poder, o partido acha que não tem alternativa senão entoar o lero-lero de que é vítima de um complô que visa a impedir a volta de Lula.
Nos próximos dias, semanas e meses você vai ouvir falar muito da candidatura presidencial de Lula. A pregação virá sempre acompanhada de ataques à equipe da Lava a Jato. Hoje, Lula chegou a dizer que a bancada do PT precisa investigar a participação do Governo dos Estados Unidos no ''golpe'' que derrubou Dilma. Para ele, o Governo americano agiu em parceria com o Juiz Sergio Moro. Se não tomar cuidado, Lula vai acabar se transformando na primeira piada a se candidatar ao Palácio do Planalto.

NO O ANTAGONISTA
Ministro vitalício
Brasil Quinta-feira, 12.01.17 08:30
Depois que José Eduardo Cardozo, Tarso Genro e Eugênio Aragão pediram a renúncia de Alexandre de Moraes, ele nunca mais sairá do cargo.
Aécio Neves disse à coluna do Estadão:
“Se ele precisava de algum apoio para ficar, esse pedido dos petistas o garantiu de vez no posto”.
Com a anuência de Lula
Brasil 12.01.17 08:24
“A disputa pelo comando da Câmara e do Senado aprofundou a crise interna do PT”, diz a Folha de S. Paulo.
Alguém acredita nisso?
“Com a anuência do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, segundo a reportagem, “Carlos Zarattini abriu diálogo com os governistas”.
Ao mesmo tempo, Lindbergh Farias “critica o apoio à candidatura de Eunício Oliveira à Presidência do Senado”, dizendo:
"É fazer aliança com golpista, que foi relator da PEC 55, que vai comandar o processo de desmonte da Constituição e de ataque ao direito dos trabalhadores".
Lindbergh Farias não faz nada sem “a anuência do ex-Presidente Luiz Inácio da Silva”.
O PT, como sempre, mente.
A pena de 151 anos
Brasil 12.01.17 08:05
José Eduardo Cardozo, Tarso Genro e Eugênio Aragão pediram a renúncia de Alexandre de Moraes.
O Estadão mostrou, porém, que de 2007 a 2016, quando os três petistas comandaram o Ministério da Justiça, “apenas 16.534 vagas foram criadas com recursos do Governo Federal em presídios do País”.
A reportagem fez um cálculo:
“Se mantiver a taxa anual de criação de 1.650 vagas (4,5 por dia) dos dez anos, o Brasil precisará de 151 anos para acabar com o atual déficit de 250 mil lugares no sistema penitenciário”.
O Brasil precisará de 151 anos para consertar o estrago provocado pelo petismo.
MPE quer cassar Prefeito de Belo Horizonte
Brasil quarta-feira, 11.01.17 22:27
O Ministério Público Eleitoral quer a cassação de Alexandre Kalil, Prefeito de Belo Horizonte, por arrecadação ilícita de recursos para fins eleitorais.
Como noticiamos no ano passado, Alexandre Kalil disse que vendeu 37,5% de um apartamento a familiares, para arrumar os 2,2 milhões de reais que colocou na sua campanha.
Primeiro problema: no contrato de venda da sua parte do apartamento, não constam o nome nem o endereço dos três compradores. Apenas as ocupações deles: advogado, médico e estudante -- as mesmas dos seus filhos.
Segundo problema: para arrecadar 2,2 milhões de reais, o apartamento deveria valer 5,9 milhões de reais. No entanto, o preço de mercado do imóvel é 3 milhões de reais.
O MPE tem como praticamente certo que Kalil não vendeu parte do tal apartamento, mas forjou um contrato para justificar a entrada do dinheiro na sua campanha.
TRF-4 LEGALIZA INVESTIGAÇÃO POR DENÚNCIA ANÔNIMA
Brasil 11.01.17 20:33
Os desembargadores do TRF-4, além da súmula 129 que autoriza renovação de escutas telefônicas, aprovaram a súmula 128 que valida "a instauração de procedimento investigatório com base em denúncia anônima, quando amparada por outro indício".
Essa questão era contemplada no projeto das Dez Medidas, mas acabou sendo retirada quando o texto foi desfigurado pelo plenário da Câmara.
O TRF-4 dá um exemplo para o resto do País.
Mais um “não”
Brasil 11.01.17 20:03
A Justiça de São Paulo barrou hoje o reajuste das tarifas de ônibus intermunicipais na região metropolitana.
A estatal paulista EMTU opera quase 600 linhas intermunicipais e aumentou as passagens entre 6,1% e 7,2% no domingo, 08.
Nesta semana, Alckmin também foi notificado sobre a suspensão do reajuste das tarifas de integração ônibus-metrô-trens.
Esta não é, mesmo, a semana do Governador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário